Vire a página e vai ser feliz!


Marisa Fonseca Diniz



Esse texto é em especial àquelas pessoas que não conseguem enxergar porque o relacionamento acabou de forma penosa, simplesmente por não perceber que o problema não são os outros, e sim nós mesmos quando não estamos preparados para assumir riscos e desafios. Todo relacionamento seja pessoal ou sentimental precisa ter duas pessoas amadurecidas e preparadas para os tempos bons e ruins.

O que muitas pessoas não conseguem entender é que, um relacionamento não se faz sozinho, ou seja, ambos os envolvidos devem estar com a autoestima elevada e suas vidas endireitadas. O erro é achar que a solução da vida está no outro que está tentando sustentar a relação, não, quando uma das partes está em frangalhos nem cola química dá jeito.

Pior ainda se uma das partes vier carregando há anos problemas passados principalmente de relacionamentos destruídos de maneira traumática ou problemas familiares, ninguém suporta isso. Por mais que as pessoas acreditem que estejam com suas vidas totalmente resolvidas, não conseguem perceber o mal que estão fazendo a si mesmas e ao outro que está tentando manter o relacionamento de maneira positiva.

Decidi escrever este artigo devido à falta de entendimento nas conversas, sempre tentei falar de maneira clara para que a pessoa entendesse a situação e com o tempo percebi que de nada adiantava, se a pessoa não queria escutar ou assimilar o que eu estava tentando explicar. Por mais que queremos ajudar a melhorar a vida do outro, nem sempre este outro está disposto a aceitar a ajuda ou tentar se adequar a situação presente.

Sou uma escritora que transfere sentimentos aos artigos que escrevo, diferente dos demais artigos técnicos ou de opinião onde há necessidade de transferir conhecimentos profissionais. E por que faço isso? Porque faz parte da minha personalidade tentar passar experiências diárias da vida pessoal ou profissional de maneira que possa auxiliar outras pessoas a não cometerem os mesmos erros, que muitas vezes machucam muito.

Nós escritores estamos diariamente propensos a receber críticas, e nem por isso nos cansamos ou desistimos de continuar escrevendo, pois temos nossa percepção aflorada e com isso temos a necessidade de colocar para fora e escrever sem parar. Assim acontece em nossas vidas pessoais, muitas vezes somos mal compreendidos ou interpretados por acreditarem que não somos pessoas adequadas para dar qualquer tipo de conselho.

Sempre falo, relacionamentos vem e vão, porém só as pessoas amadurecidas e bem resolvidas se esforçam para continuar mantendo a flor da paixão e do amor por longos anos, de resto a melhor solução mesmo é procurar um bom psicólogo para fazer terapia e resolver traumas do passado e do presente.

Quer ser feliz? Então siga essas dicas:

Esse ano que passou foi difícil para você?
Vire a página.

Você conheceu pessoas que não valiam a pena?
Vire a página.

Os negócios foram um fracasso?
Vire a página.

Ah você ficou desempregado?
Vire a página.

Você tomou decisões precipitadas e se arrependeu mais tarde?
Vire a página.

Imaginou conhecer a mulher da sua vida, mas com o tempo percebeu que ela não te compreendia ou não era aquele docinho de mulher?
Vire a página.

Te acusaram de ser uma pessoa preguiçosa e que não gostava de trabalhar?
Vire a página.

Te falaram que você não levava nada a sério?
Vire a página.

Te acusaram de coisas que você não fez?
Vire a página.

Perdeu uma chance de ouro, por não insistir?
Vire a página.

Ficou doente e sentiu que ia morrer?
Vire a página.

Se magoou por coisas que não valiam a pena?
Vire a página.

Perdeu a chance de amar a mulher certa?
Vire a página.

Deixou de estudar porque achou que era besteira?
Vire a página.

Vire a página todas as vezes que achar que seu pensamento negativo for maior que os positivos, pois quem vive de passado é museu, e eu não estou nem aí com os erros que cometi lá trás, pois a minha felicidade é superior aos meus pensamentos negativos.

Nunca se esqueça, a vida passa muito rápido para ficar chorando pelo leite derramado, faça valer a pena a nova história que você pode começar a escrever a partir de hoje, esquecendo e apagando por completo tudo aquilo que fez ontem e te entristeceu.

Pessoas bem resolvidas não estão preocupadas com o ontem, e sim com o agora, porque a cada dia escrevemos um novo capítulo da vida e tudo tem que valer a pena!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Vire a página e vai ser feliz! de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Brasileiro é um eterno insatisfeito e comodista


Marisa Fonseca Diniz



Brasileiro é comodista sim, para não dizer folgado, em plena crise política que acomete o país, invés de colocar a mente para criar e o corpo para executar, reclama e nada faz para melhorar a situação na qual vive. Reivindica a falta de educação, mas não gosta de estudar, reclama da falta de emprego, mas detesta trabalhar, possui receita para todos os problemas sociais do país, mas não estende a mão para ajudar ninguém, salvo raras exceções.

Brasileiro é realmente um povo engraçado, dá palpite na vida alheia, mas não consegue consertar a própria vida. Incrível a capacidade de julgamento político e econômico que possui, mas não consegue interpretar um texto simples ou calcular uma soma matemática.

Direita, esquerda, socialismo, comunismo, anarquia, populismo, democracia, capitalismo é qualquer coisa, brasileiro é cheio de entender todas as ideologias, mas ninguém quer se mudar para a Coréia do Norte ou deixar de usar roupa de grife e ter iPhone.

O brasileiro tem receita para tudo, como ganhar dinheiro rápido, prosperar nos negócios, alavancar vendas, como conquistar o homem perfeito, como se transformar em uma mulher maravilhosa, porém as receitas parecem nunca dar tão certo assim, pois na hora de vender o livro mágico apela para os amigos.

Reclama da falta de oportunidade na vida, mas dispensa todas, e depois fica se lamentando que o mercado de trabalho esteja ruim, é preconceituoso ou o salário dos sonhos não é tão bom assim. Questiona-se porque não é chamado para as entrevistas, já que considera seu currículo profissional impecável, reclama porque foi dispensado da entrevista e não foi dada nenhuma satisfação, reclama da vaga, reclama do salário proposto, reclama porque o emprego é longe, reclama do entrevistador, reclama porque não era CLT, reclama porque isso, porque aquilo, reclama, reclama, reclama, é um eterno insatisfeito.

Ano passado antes de estourar a crise política brasileira lia-se nos jornais, revistas e mídia virtual a dificuldade de se conseguir um profissional capacitado no Brasil, achava-se um absurdo até precisar de um. Encontrar um bom profissional especializado aqui no país é realmente tentar encontrar uma agulha no palheiro.

Os brasileiros se graduam com o conceito de que sairão das faculdades 100% capacitados para assumir qualquer tipo de função em suas áreas de atuação, mas quando entrevistados mal sabem o básico do básico que deveriam ter aprendido em seus cursos. Culpa de quem? Do ensino precário ou da falta de iniciativa dos estudantes em procurarem cursos adicionais? É realmente complicado, depois reclamam quando são substituídos por estrangeiros com melhor formação e boa vontade em aprender novos conhecimentos.

Brasileiro é realmente uma figura daquelas que não sabemos se devemos rir ou chorar, porque nunca sabe o que quer, e nem qual caminho seguir. Sonha, mas nunca realiza, reclama, mas nunca muda suas atitudes, fala palavras bonitas, mas nunca tem atitudes que condizem com as palavras.

Quando consegue uma casa em um programa de moradia popular acha ruim porque demora o sorteio das chaves, quando recebe a chave tenta mudar o andar, o número, depois que muda para o imóvel reclama do acabamento, da localização, nunca está satisfeito e nunca quer fazer mudanças, sempre joga a culpa em terceiros.

Brasileiro reclama tanto que até cansa escutar, reclama quando não tem plano de saúde, e depois quando consegue um, reclama do mau atendimento, do valor, dos profissionais, mas não tem coragem de ligar para a agência de regulamentação para registrar a queixa, sempre quer ter o melhor pelo menor preço.

Compram celular, notebook e eletrônicos caros no exterior sem pesquisar no país, simplesmente porque confiaram no conselho do amigo do amigo que comprou e disse que os impostos brasileiros são exorbitantes e encareciam o produto, e depois não tem como trocar quando estão com defeito. Compram roupa de gripe, que explora a mão de obra nos países pobres, e depois assinam abaixo assinados virtuais sobre a mão de obra escrava.

Brasileiro protesta da roubalheira, mas não assume que errou quando elegeu políticos sem nem se quer pesquisar o histórico deles, nunca cobra promessas de campanha, e depois fazem de tudo para derrubar os eleitos. 

Reclama da corrupção, mas não assume que também é corrupto, quando rouba no troco da padaria, quando coloca o amigo na vaga de confiança, quando não paga o empréstimo solicitado, quando pega a caneta e não devolve, quando fura a fila, quando senta no banco reservado para pessoas especiais, é difícil reconhecer o erro, porque apontar é muito mais fácil.

Brasileiro sonha o ano inteiro em ganhar na mega da virada para deixar de trabalhar, como se gostasse de trabalhar ou trabalhasse muito. Em época de crise reclama que a vitória seria ter um trabalho, mas quando está empregado, reclama do chefe, do serviço, da empresa, dos benefícios, nossa, como reclama, nada está bom.

Realmente é difícil saber o que está bom para o brasileiro, já que ele passa quase que às 24 horas do dia reclamando, quando não fica estirado no sofá esperando que alguém vá até ele, entregar o emprego perfeito com alto salário e pouca responsabilidade, de preferência com flexibilidade de horário, e todos os benefícios que qualquer sultão merece.

Ser empresário no Brasil não é fácil, além de pagar altas taxas tributárias, ainda são chamados de coxinhas e não conseguem atender todos os desejos mais insanos dos demais brasileiros, que ficam esperando cair do céu todas as regalias sem ter o menor trabalho em apresentar algo inovador. A evolução precisa ser rápida, sem ficar esperando que o governo coloque o país nos trilhos novamente, porque quanto mais o tempo passa mais estagnado, acomodado e insatisfeito fica o brasileiro, e mais atrasado fica o país.

Triste realidade!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Brasileiro é um eterno insatisfeito e comodista de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://marisadiniznetworking.blogspot.com/2016/11/brasileiro-e-um-eterno-insatisfeito-e.html.