11 de janeiro de 2018

As obras públicas mais caras do mundo


Marisa Fonseca Diniz

A construção civil sempre foi um grande desafio, suas obras modernas e antigas espalhadas ao redor do mundo sempre tiverem seus encantos e história. Mas, até onde vale a pena erguer uma obra de grandes proporções por um valor exorbitante?

O Palatul Parlamentului, localizado em Bucareste na Romênia é o edifício público que custou mais caro para ser construído, 3 bilhões de dólares. É considerado o maior palácio do mundo com 350.000 m², e o segundo maior edifício após o Pentágono. A construção teve início em 1980 e só teve sua obra concluída em 1989.



O palácio é de estilo neoclássico, incluindo mais de 1 milhão m³ de mármore, 3.500 toneladas de cristal, 700.000 toneladas de aço e bronze,  900.000 m³ de madeira, 200.000 m² de tapetes de lã, e cortinas de veludo bordados a ouro e prata.

O palácio foi desenhado pelo Arquiteto Anca Petrescu em 1970 a mando do ditador do regime Comunista Nicolae Ceausescu, uma obra de grande magnitude para um país com economia fraca, indústria absoleta, e com uma população pobre.

A Estação de Kyoto é a segunda maior estação de metrô do Japão, e é um dos maiores edifícios do país. A estação incorpora um shopping center, hotel, loja de departamentos, linhas de metrô e trem, e várias instalações do governo. A obra custou 1,250 bilhões de dólares.



A Elbphilharmonie Hamburgo é uma sala de concertos em construção na Alemanha. Em abril de 2007 o prefeito de Hamburgo, o coordenador do projeto, o Ministro da Cultura de Hamburgo e o arquiteto Pierre de Meuron lançaram a pedra fundamental da obra que, estava prevista para ser entregue em 2010 a um custo de € 241.000.000. Porém, a obra não ficou pronta e acabou consumindo mais dinheiro para a conclusão em 2015, a um custo de 1,028 bilhões de dólares.



A Alemanha possui a economia mais importante da Europa. A segurança social tem um peso forte na economia, onde os alemães possuem direitos sociais extensos, e a cultura tem um papel importante na sociedade.


A Ponte Akashi-Kaikyo localizada no Japão faz parte de uma rede nacional de estradas que interliga as ilhas Honshu, Awaji e Shikoku foi concluída em 1998 com 3.911 m de cumprimento total, e é considerada a ponte mais cara do mundo, seu custo de construção foi de 4,3 bilhões de dólares.



O Japão possui a terceira maior economia do mundo, e faz altos investimentos em infraestrutura, uma vez que o país é montanhoso e há várias ilhas que necessitam de pontes para serem interligadas.

Pelo que podemos ver obras superfaturadas não são exclusividade apenas do Brasil.


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho As obras públicas mais caras do mundo de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/01/as-obras-publicas-mais-caras-do-mundo.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.