Você contrataria um paranoico?


Marisa Fonseca Diniz



A pergunta parece estranha, mas é  mais comum do que se pode imaginar. 
Raramente no dia-a-dia, as pessoas conseguem discernir comportamentos comuns dos paranoicos, pior ainda quando os portadores deste distúrbio se encontram no ambiente de trabalho ou são pessoas com diversos seguidores e contatos profissionais em redes sociais e profissionais. Os paranoicos podem ser um empreendedor, palestrante, médico, economista, webdesigner ou uma pessoa qualquer.

O transtorno de personalidade paranóide é um transtorno mental que muitas vezes é confundido por situações cotidianas e estresse. A paranoia pode passar despercebida, quando a pessoa portadora da síndrome se encontra bem ajustada na sociedade ou simplesmente pode ser gravíssima tornando o individuo incapaz. O diagnóstico nem sempre é fácil de ser detectado devido às diversas características paranóides.

Os traços deste transtorno aparecem no início da vida adulta e se não diagnosticados corretamente permanecem a vida toda prejudicando a adaptação dos seus portadores em  situações diárias, afetando o trabalho, as relações familiares, sociais, culturais, entre outros.

As principais características deste transtorno são:

ü Desconfiança;
ü Suspeita exagerada ou sem justificativa;
ü Enganos;
ü Rancores;
ü Ciúmes;
ü Hipersensibilidade;
ü Frieza e distancia;
ü Ocultamento;
ü Relações interpessoais;
ü Transtornos associados.

Os portadores deste transtorno são pessoas de difícil convivência e possuem frequentes problemas com relacionamentos íntimos. A desconfiança excessiva gera hostilidade que são expressas através de discussões agressivas, recorrentes e afastamento silencioso. São pessoas extremamente vigilantes a possíveis ameaças alheias reagindo de maneira reservada, frieza e afetivamente indiferentes. Aparentemente são vistos como pessoas racionais, objetivas e sem emoções, porém são obstinadas, sarcásticas e de expressões hostis e combativas.

Não confiam nas outras pessoas e possuem necessidade de serem autosuficientes com forte autonomia, além de possuir alto grau de controle dos indivíduos que os cercam. Rígidos, polêmicos, críticos em relação às pessoas e opiniões opostas. Possuem dificuldade em aceitar críticas delas mesmas, e quando alguém tem boas atitudes considera que estão entrando em uma emboscada. Culpam os amigos, familiares e companheiros por suas dificuldades e falta de oportunidades, além de serem perspicazes em acharem que todos estão contra eles por não conseguirem enxergar seus potenciais humanos e profissionais.

Estas pessoas possuem noções negativas  pré-concebidas que envolvem indivíduos e situações, onde eles atribuem motivações malévolas, quando na verdade não passam de projeções dos seus próprios medos. Suspeitam que as pessoas os explorem, enganem ou agridem verbalmente. Possuem preocupação e dúvidas injustificadas sobre lealdade e confiança de amigos, parceiros ou sócios. Relutam em fazer confidencias sobre sua vida por medo de acharem que as informações possam ser usadas contra eles próprios.

Tendem a interpretar significados ocultos em comentários amistosos, além de terem dificuldade em perdoar deslizes alheios e injúrias por serem muito rancorosos. Os elogios são sempre interpretados de maneira errada e tendem a inverter o significado entrando em conflito com as pessoas. Possuem uma hipervigilância a sua reputação e  reagem de maneira agressiva e rápida quando acreditam que estão sendo ofendidos e atacados. Suspeitam de seus parceiros sexuais e cônjuge achando que são infiéis.

Apresentam fantasias megalomaníacas, grandiosas e irreais muito mal encobertadas, sempre estão atentos a assuntos associados ao poder e hierarquia e tendem a desenvolver estereótipos negativos das outras pessoas que acreditam que possam descobrir o lado sombrio de seus comportamentos. Os paranóides tendem atrair a atenção de portadores de transtorno de personalidade histriônica, quando em busca de seus parceiros sexuais.

Os portadores deste transtorno são atraídos por formulações simplistas do mundo e evitam situações ambíguas. Conhecidos como fanáticos ou polêmicos em grupos estreitamente fechados, onde compartilham suas crenças paranóides através de suas teorias de que os outros é que são os verdadeiros enganadores.

O transtorno de personalidade paranóide pode estar associado ao transtorno depressivo maior, ao distúrbio de ansiedade e ao transtorno obsessivo compulsivo, além de haver abuso de álcool e outras substâncias.

Os portadores deste transtorno devem ter ciência de que precisam de acompanhamento de especialistas, seja psicólogo ou psiquiatra, a fim de amenizar os problemas no decorrer do tempo. Não é mera coincidência, pois podemos encontrar pessoas assim no trabalho, na sociedade ou até mesmo no mundo virtual, e neste caso todo cuidado é pouco.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

 Licença Creative Commons
O trabalho Você contrataria um paranoico para um evento? de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível emhttp://marisadiniznetworking.blogspot.com/2015/08/voce-contrataria-um-paranoico-para-um.html.

Os benefícios da arquitetura bioclimática


Marisa Fonseca Diniz

“O meio ambiente é o conjunto de componentes físico, químico, biológico e social que podem causar efeitos diretos e indiretos a curto e longo prazo deteriorando a vida dos seres vivos e as atividades humanas.”

Dentro deste conceito de meio ambiente percebemos o quanto o ser humano tem deteriorado o meio em que vive. As sociedades cada vez mais desenvolvidas necessitam de quantidade cada vez maior de matéria e energia, o que faz com que a exploração desnorteada do biótopo e da biocenose da maioria dos ecossistemas do planeta desapareça.

A superexploração quando efetuada de maneira contínua faz com que os ecossistemas se esgotem e acabem entrando em estado de regressão, onde há perda de diversas espécies de seres vivos.  A necessidade excessiva de consumir energia para suas funções vitais e a empregada nas atividades externas, tais como, indústria, agricultura e iluminação esgotam o meio ambiente.

Sendo assim diversas correntes sustentáveis surgiram a fim de combater e amenizar o problema do consumo exagerado dos ecossistemas, como é o caso da arquitetura bioclimática que surgiu a partir dos aos 70 com o conceito da arquitetura solar que pretendia captar a luz solar e transformá-la em energia.

Atualmente o conceito da arquitetura bioclimática consiste no desenho dos edifícios levando em consideração as condições climáticas e hábitos de consumo utilizando os recursos disponíveis na natureza, tais como, sol, vegetação, chuva, vento que amenizam os impactos ambientais e reduzem o consumo energético.

A arquitetura bioclimática difere da sustentável que por sua vez tem um conceito mais amplo a questão de preservar o meio ambiente utilizando técnicas adicionais  ao consumo energético, tais como análise do ciclo de vida, reciclagem, reutilização de materiais, gestão de resíduos e gestão eficiente da água.

A arquitetura e a indústria da construção civil associados com a sustentabilidade ambiental possuem uma vasta dimensão nas questões de desenvolvimento de novos produtos, pois impulsionam o mercado a se preocupar em preservar o meio ambiente. Baseando-se no conceito da arquitetura bioclimática há vários produtos no mercado mundial que são considerados sustentáveis e colaboram para a redução do impacto ao meio ambiente, entre eles podemos destacar:

Ø Vidros de fachadas bioclimáticas: é uma solução inteligente que aproveita a luz natural e proporciona conforto térmico e economia de energia. Ideal para fachadas de edifícios corporativos porque além de proteger os ambientes internos do sol, reduz os altos custos com energia e gera energia limpa através de membranas vivas que se adaptam as mudanças climáticas.
    


    Tradicionalmente o calor do sol é aproveitado quando o tempo está mais frio para aquecer o ambiente, as águas sanitárias podem ser aquecidas pelo calor extraído das estufas dos jardins de inverno. As perdas de calor podem ser minimizadas com um bom isolamento térmico que envolve a parte exterior dos edifícios, tais como fachadas, pavimentos e coberturas.



Cite de Cité des Sciences et de L'Industrie, França – Fachada com vidros bioclimáticos

     Quando o clima está mais quente as paredes em geral são mais espessas, o que possibilita o aproveitamento da inércia térmica das paredes, dos telhados e da fachada que deve ser de cor clara para amenizar os efeitos da radiação solar. Os toldos podem ser utilizados para sombrear os vãos, vidros especiais ou duplos, ventilação natural e outras soluções que proporcionam redução de custo energético.

Ø Sistemas solares passivos: são sistemas utilizados na captação e acumulo de calor diretamente da energia solar. Sistemas passivos porque não utiliza nenhum tipo de dispositivo eletromecânico para recircular o calor, que acontece através de princípios físicos básicos de condução, radiação e convenção de calor. Temos os seguintes produtos:

Ø Muro Trompe: construído com tijolos e concreto é pintado de preto e o vidro é instalado na sua superfície a fim de produzir o efeito estufa. O vidro permite que a luz do sol o atravesse e o muro aqueça emitindo raios ultravioletas que não podem atravessar o vidro. Esse é o principal motivo pelo qual a temperatura se eleva o muro e a camada de ar existente entre o muro e o vidro. O interessante é que podem ser feitos furos embaixo e em cima do muro para que o ar penetre diretamente nos ambientes.
Sistema do coletor solar

ØColetor Solar: é um sistema que por meio de uma câmara de vidro fechada que capta o calor no ar ou na água e transfere para uma camada abaixo do piso através do sistema de serpentina, aquecendo o ambiente naturalmente.

Novo edifício do Brower Center em Berkeley, CA

Ø Iluminação Natural: o uso da iluminação natural combinada com sistemas de iluminação de alta eficiência permite uma economia de 30 a 50%, mas é possível chegar a 70% em casos específicos. A luz natural depende das necessidades do edifício, pois os espaços que recebem a luz natural são mais econômicos e atrativos para trabalhar e morar. Além do que a luz natural faz bem para a saúde e evita a falta de vitamina D e o TAE – Transtorno Afetivo Estacional.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Os benefícios da arquitetura bioclimáticade Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível emhttp://marisadiniznetworking.blogspot.com/2015/08/os-beneficios-da-arquitetura.html.