Brasil, a beira do precipício

 Marisa Fonseca Diniz


O caos no maior país da América Latina nunca foi tão evidente como está sendo durante a pandemia do coronavírus. Um país que já vinha vindo há anos tropeçando nos desastres político e econômico dos antigos governantes acabou escancarando sua inabilidade em gerir colocando no poder um presidente inepto, aja visto o aumento significativo das mortes pela covid-19, e não menos importante o aumento da miséria no país. O velho jargão de que tirando o presidente populista da esquerda do poder seria a melhor solução para o país, uma vez que toda a corrupção seria lavada de vez da política, não passou de um simples eufemismo para angariar votos para a direita populista radical, que nega veemente os fatos reais, apenas por interesses escusos.

A falta de políticas públicas fez do Brasil, um país enfraquecido perante as demais nações, onde não há interesse em retribuir ao povo o que lhe é de direito, serviços de qualidade em contrapartida a alta carga tributária. A falta de interesse em oferecer condições primárias à população tem demonstrado total despreparo daqueles que deveriam zelar pelos seus cidadãos.

O Brasil até 2019 era considerado uma nação promissora, pois se encontrava no ranking das 10 maiores economias do mundo, no entanto, em 2020 despencou para a 12º posição perdendo lugar para o Canadá, Coréia do Sul e Rússia. O desastre econômico não deve ser relacionado apenas à pandemia, uma vez que, bem antes dela chegar, o país já caminhava para o abismo. A falta de consenso entre ministérios e presidência fez com que medidas políticas desastrosas fossem tomadas perante o caos.


A inexperiência de quem ficou por diversos mandados descansando em uma poltrona confortável do Congresso Nacional dormindo e criticando seus colegas de plenário, pois a prova à ineficiência e incompetência em gerir um país de tamanha magnitude como o Brasil. Associado aos seus corregilionários, que apenas se interessaram pelo poder como máquina de manobra aos interesses particulares, pois todos os brasileiros à deriva, sem políticas condizentes para suprir as necessidades básicas de todos os cidadãos.


Enquanto uma minoria da população aplaude as ineficiências da governança suprema do país, a maioria populacional vive na corda bamba, sem apoio algum de quem deveria realmente se preocupar com o futuro da nação. O Brasil tem se tornado a cada dia que passa um país de miseráveis, segundo dados do Ministério da Cidadania 39,9 milhões de brasileiros vivem na extrema pobreza, sendo desse total 14 milhões de famílias vivem apenas com um pouco mais de US$ 15 por mês. O dado mais alarmente é o fato de que a cesta básica no Brasil custa em média US$ 356, sem contar que a inflação fechou o ano de 2020 em 4,52%. Olhando de perto percebemos que o buraco pode ser bem maior do que o apresentado pelo governo, uma vez que todos os custos da economia são baseados nas taxas de inflação, o que contribui para o aumento da miséria no país.

Segundo a fala do presidente da república em 19 de julho de 2019, durante um café da manhã com os jornalistas, ele declarou que no Brasil ninguém passa fome, suponhamos que na casa dele e de seus ministros não aja falta de comida de qualidade, o que é perceptível o total desconhecimento da realidade no qual o representante da república vive.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o número de pessoas com insegurança alimentar, ou seja fome, aumentou em cerca de 3 milhões nos últimos 5 anos, o que podemos perceber é que o país não só deixou de combater a fome como também contribuiu para que mais pessoas entrassem nestes dados, sem contar os indivíduos que perderam a condição financeira devido o desemprego e acabaram escolhendo a rua como moradia. É difícil ser provedor de uma família e ver seus filhos chorando de fome, mas para muitos que nunca vivenciaram este drama pode não significar absolutamente nada. Ainda mais quando muitos empurram a culpa para estes cidadãos por terem muitos filhos, o que é um grande erro, quando pensamos na ineficiência de políticas públicas nas áreas da educação e principalmente da saúde.

A falta de governança vai mais além, principalmente quando olhamos os altos índices de desemprego relacionado ao aumento da miséria no território nacional em decorrência das péssimas decisões tomadas economicamente acreditando que cortar obrigações e benefícios trabalhistas poderia colaborar com o aumento dos investimentos no país. O que vemos atualmente, no entanto, é uma legião de miseráveis vagando pelas ruas sem destino, empresas falidas, mais de 40 milhões de desempregados (somando os desocupados e os ocupados precariamente) e pessoas sem perspectiva de um futuro melhor.

A pandemia do coronavírus ajudou muitos brasileiros das classes sociais A, B e C a abrirem os olhos e enxergarem claramente, as mentiras contadas pelo representante primaz da nação, quando de sua campanha política na época de sua eleição e mesmo depois de eleito prometendo combater a corrupção e as adversidades pelos quais o país atravessava, o que nunca aconteceu. A corrupção avança cada vez mais longe em todas as esferas, inclusive no meio daqueles que deveriam combatê-la, e quando são cobrados pela imprensa acabam ameaçando com censura.


Aja visto que o país caminha a passos rápidos para o fundo do poço, antes considerado um exemplo de superação, hoje é visto como uma ameaça à integridade mundial. Propagandas facciosas e mentirosas durante a campanha eleitoral de que o país poderia se tornar uma Venezuela se fosse eleito um presidente de esquerda nunca foi contencioso, uma vez que, o país em referência é governado por um ditador militar.

O mais interessante nesta retórica falaciosa é o fato de que todas as pessoas que desmentem a fala do presidente são chamadas de comunistas, o mais agravante é que há um pequeno grupo de seguidores com visão obtusa dos fatos que apoiam tais ações apenas pelo interesse de que possam ser beneficiados de alguma maneira. Percebe-se claramente que os apoiadores são ignorantes em história e política, simplesmente por falta de percepção e interpretação dos fatos reais.


No passado, o Brasil era reconhecido mundialmente pela produção e distribuição de vacinas por se preocupar em imunizar seus cidadãos, hoje não passa de uma nação que ignora a ciência e suas pesquisas deixando todos à míngua sem se preocupar em desenvolver pesquisas de interesse público e mundial. O negacionismo daqueles que tem como obrigação zelar pela saúde de seus cidadãos é escabrosamente vergonhoso quando pensamos na quantidade de mortes diárias, que acontecem no país não apenas pelo coronavírus como também por outras patologias.

É triste admitir, que por causa de 57,7 milhões de pessoas desinformadas acabaram por colocar no poder máximo um aldrabão, que em momento nenhum demonstrou preocupação pela crise sanitária, onde mais de 300.000 pessoas perderam a vida para a covid-19 e ainda debochou da pandemia com frases típicas de um aparvalhado: “e daí? não sou coveiro, é apenas uma gripezinha, país de maricas". Sobre a vacina da Pfizer: "se você virar jacaré, não é problema meu; eu não vou tomar; alguns falam que estou dando péssimo exemplo. O imbecil, o idiota, que está dizendo. Eu já tive o vírus, já tenho anticorpos. Para quê tomar a vacina de novo?”.

O negacionismo de quem deveria dar o exemplo é mais assustador do que parece, pois incita pessoas que desconhecem a ciência e a importância do contágio a cometerem os mesmos erros e outros até piores. No momento, o distanciamento social pode parecer algo insuportável, mas é de suma importância, ainda mais porque não temos imunizantes suficientes para vacinar a maioria da população e criar a imunização de rebanho é o que beneficiará todos os brasileiros. Se quem deveria comprar os imunizantes tivesse tido responsabilidade nas negociações e comprado todas as vacinas possíveis, hoje não estaríamos chorando por nossos mortos. Portanto não se esqueçam, o presidente brasileiro é exclusivamente responsável por todas as mortes do país, mesmo negando o fato.

Os brasileiros estão todos ilhados neste caos pelo qual o país atravessa tanto a nível social, como econômico e sanitário contando as baixas provocadas não apenas pela pandemia como também pela gestão desastrosa, onde há falta de emprego, condições financeiras e dignas para alimentar a população. O que nos faz crer que este governo nunca representou a maioria, desprezando os cidadãos e beneficiando apenas uma pequena parcela de bilionários responsáveis pela exploração e escravidão dos mais fracos.

 


Em contrapartida, os políticos do país andam rindo à toa, pois em plena crise não mediram esforços para aumentar escancaradamente seus salários e beneficies em 30 vezes mais que o salário mínimo (valor do salário mínimo no país corresponde a um pouco mais que US$ 190,00), enquanto isso a população mais carente tenta entender porque ganham menos de 25% do salário mínimo como auxílio emergencial ou bolsa família, em plena pandemia, e mal conseguem comprar alguma alimentação, já que os preços estão nas alturas.

O pensamento retrógrado e maquiavélico de quem foi eleito como representante da maioria é simplesmente deprimente, a pensar que pagar um valor superior aos 25% do salário mínimo como auxilio emergencial seria deixar o povo mal acostumado e preguiçoso. No entanto ridiculariza os cidadãos dizendo que estão mal acostumados e cheios de caprichos.


Que nas próximas eleições, os brasileiros possam seguir o mesmo exemplo dos americanos que tanto veneram votando em  um cidadão preocupado com o desenvolvimento da nação, sem explorar a capacidade humana com tantos impostos, além de cuidar da natureza, investir em pesquisas científicas, criar empregos de qualidade, dar condições financeiras para que o povo saia da miséria, e que políticas públicas sejam criadas, a fim de beneficiar a todos e não uma pequena parcela de pessoas interessadas exclusivamente em poder.

Que o povo tenha o discernimento de separar o joio do trigo, além de apurar os fatos e não acreditar em tantas baboseiras que são divulgadas por pessoas que ganham dinheiro divulgando mentiras nas redes sociais e na internet, pois todo aquele que bate o punho no peito dizendo ser honesto em geral não é, pois todo cidadão íntegro demonstra através das atitudes sua honestidade.

Que este artigo sirva de reflexão a todos que estão realmente preocupados com o rumo do país, pois até mesmo as pessoas mais otimistas veem um futuro tenebroso, onde muitos indivíduos não conseguirão sair do lamaçal pelo qual o Brasil está passando. Se as grandes nações boicotarem o país, nos juntaremos a Cuba, a Venezuela e a Coréia do Norte e ainda poderemos ficar no limbo do grupo dos países mais pobres.

Levamos anos para derrubar a ditadura militar, que deixou o país em total atraso econômico e depois de conquistarmos a democracia temos que defender nossos direitos com unhas e dentes para que nenhum falastrão tente derrubá-la com atos inconstitucionais ameaçando a liberdade do povo e implantando a força a censura. Apesar de algumas pessoas acreditarem que este tipo de regime ditatorial seja vantajoso, com certeza desconhecem a realidade, aja visto que apenas os políticos que estão no poder são realmente beneficiados bem como seus familiares, aos demais a regra é dura e severa, pior ainda para quem não tiver dinheiro para se mudar do Brasil.

Pensem bem:

Qual é o tipo de país que esperam no futuro?


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

 

Licença Creative Commons
O trabalho Brasil, a beira do precipício de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2021/04/brasil-beira-do-precipicio.html.

Livre-se das amarras da vida

 Marisa Fonseca Diniz


Não há nada mais deprimente na vida de um ser humano do que ter que cumprir regras determinadas pela sociedade, apenas por um capricho comercial. Tudo que se pensa ou pretende fazer tem um padrão determinado a se seguir, as pessoas simplesmente não podem ser diferentes, elas tem que ser como manada indo ao abatedouro com o mesmo pensamento igual aos demais.

Quem não se casa é visto como um solteirão, que aos olhos da sociedade dever ter algum problema social. Os casais que preferem não ter filho são taxados como pessoas que detestam crianças, se o individuo não é hetero tem algum problema psicológico ou espiritual. Se a pessoa é negra é porque os pais não souberam escolher o parceiro perfeito para ter filhos, de preferência brancos. Se a pessoa é pobre é taxada de vagabunda, porque não gosta de trabalhar e consequentemente não ganha dinheiro. Para tudo há um problema, nada pode ser considerada uma opção ou preferência, pois pessoas que pensam diferente para a sociedade hipócrita que vivemos nos dias atuais é considerado alguém fora dos padrões pré-determinados antes mesmo de se nascer.

Ora, não podemos fazer acepção de pessoas somente porque algumas delas preferem pensar diferente da maioria. A vida é muito curta para seguir padrões. Se a pessoa escolhe ser solteira porque gosta de sua própria companhia e não está preparada psicologicamente para ter um parceiro, não deveria ser vista pela sociedade como algo degradante e sim como uma escolha, pois todos tem livre arbítrio para fazer o que acham melhor para si.

Muitos são aqueles indivíduos que fazem tudo que a sociedade determina e depois de anos se veem infelizes em uma família, por exemplo, que não lhes agrada. Se sentir sufocado, simplesmente para agradar os outros é algo que muitas vezes não tem volta. Ter filhos apenas para agradar a família ou seguir padrão da maioria pode causar diversos problemas ao longo da vida.


O artigo de hoje não é apenas uma reflexão, mas também é sobre um assunto recorrente nos dias atuais: a depressão. A depressão tem diversos conceitos, mas com o mesmo significado, a saber:

Transtorno Depressivo mais comumente conhecido como Depressão é um transtorno de humor, que causa sintomas graves que afetam diretamente o modo como às pessoas se sentem, pensam ou lidam com as atividades do dia-a-dia. Tecnicamente falando, a depressão é uma doença psiquiátrica recorrente que produz alterações de humor, que podem ser caracterizadas pela tristeza profunda e desesperança.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde - OMS, a depressão acomete cerca de 350 milhões de pessoas em todo mundo, apesar de ser uma doença comum exige tratamento, a fim de que seus portadores possam ter uma vida mais estável. Infelizmente, o preconceito é o maior entrave para que as pessoas procurem tratamento médico. Em média por ano 20 pessoas apresentam a doença, além de 15% do total de pessoas no mundo podem em algum momento da vida ter depressão.

Esta doença atinge mais adultos, mulheres, mas também pode alcançar pessoas de qualquer faixa etária, incluindo as crianças e os idosos. É muito importante identificar os sintomas e buscar ajuda médica, seja a própria pessoa ou até mesmo um familiar. O que não pode é deixar a pessoa que tem estes sintomas ficar sem um tratamento adequado, pois as consequências podem se agravar com o tempo.

É sabido que alguns tipos de depressão tem origem genética, no entanto o estresse do dia-a-dia pode contribuir e muito com o aparecimento da doença, ou seja, a junção dos fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos podem ser as principais causas para a doença se manifestar em uma pessoa. Os principais sintomas da depressão são os seguintes:

·        Humor que persiste de ansiedade, tristeza ou vazio;

·        Irritabilidade;

·        Pensamentos negativos constantes;

·        Desesperança;

·        Sentimentos constantes de culpa e desamparo;

·        Perda de interesse pelas atividades diárias;

·        Fadiga;

·        Inquietação ou dificuldade de ficar parado;

·        Dificuldade para dormir;

·        Dificuldade de concentração;

·        Perda de apetite;

·        Perda de peso ou ganho de peso não intencional;

·        Pensamentos de morte;

·        Dor crônica sem uma causa física aparente;

·        Baixa autoestima;

·        Perda da libido.

Existem alguns tipos de depressão, que devem ser conhecidos de todos, a saber:

Distimia ou Transtorno Depressivo Persistente: é uma depressão crônica, que dura pelo menos 2 anos e tem como sintoma principal mau humor constante, baixa autoestima, elevado senso de autocrítica, sendo pessoas difíceis de se conviver.

Depressão Pós-parto: esta depressão acomete mulheres que tiveram bebês, os sintomas da depressão e ansiedade são relativamente leves e em geral desaparecem algumas semanas após o parto. Há uma profunda tristeza da mãe em relação ao filho (a), o que acaba comprometendo o vínculo entre ambos.

Depressão Psicótica: este tipo de depressão é acompanhado por delírios e alucinações.

Transtorno Bipolar: a depressão é um sintoma comum no Transtorno Bipolar, uma vez que o paciente tem constante alteração de humor, ou seja, uma hora a pessoa está eufórica e na outra está em tristeza profunda.

Transtorno Afetivo Sazonal: este tipo de depressão como o nome mesmo diz é sazonal, nos meses de inverno, quando há menos luz solar, a depressão se inicia e com a chegada do verão desaparece.

Depressão Atípica: é um subtipo da distimia, onde o paciente tem sintomas mascarados, ou seja, tem aumento de apetite, ganho de peso, sonolência, fadiga, fraqueza e o humor é reativo ao ambiente em que vive e pode apresentar uma melhora temporária de humor.

Vale a pena realçar aqui neste artigo, a questão da depressão no ambiente de trabalho, que acarreta afastamento de funcionários por meses e às vezes até anos. Nem todos os indivíduos são capazes de suportar altas cargas de trabalho, pressão diária da chefia ou cobrança excessiva de metas, por exemplo, o que faz com que estas situações sejam o gatilho perfeito para que uma pessoa fique suscetível à doença.

Os principais sintomas de depressão no ambiente do trabalho são os seguintes:

·        Cansaço;

·        Desânimo;

·        Ansiedade;

·        Dificuldade de concentração;

·        Distúrbios alimentares;

·        Irritabilidade persistente;

·        Perda de energia.


É muito importante que as empresas mantenham um ambiente laboral agradável e positivo, a fim de que seja estimulante trabalhar sem ser pressionado por algo impossível de ser alcançado como metas absurdas de produtividade.

No geral, a depressão também pode se manifestar após um estresse traumático, como a perda de um ente querido, estresse excessivo, mudanças sociais como uma separação traumática, e uso de medicamentos.

O tratamento deve ser feito com acompanhamento médico, em geral um psiquiatra ou psicólogo dependendo do caso (grave ou não) podendo ser feito com medicamentos antidepressivos e psicoterapia. A psicoterapia pode ser feita individualmente ou em grupo, sendo a mais recomendada a Terapia Cognitiva Comportamental que é focada mais na situação presente do paciente e na resolução de problemas.

Livre-se das amarras da vida buscando tratamento antidepressivo e não foque nos padrões que a sociedade impõe, pois tudo pode ficar muito mais leve quando a doença é sanada.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

 

Licença Creative Commons
O trabalho Livre-se das amarras da vida de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2021/03/livre-se-das-amarras-da-vida.html.

KPI, o que é isso?

 Marisa Fonseca Diniz



Em algum momento da vida laboral todos os indivíduos já devem ter escutado a seguinte frase: “o sucesso de uma empresa está na emissão de relatórios gerenciais”, a questão aqui é por que eles são tão importantes? Para entendermos melhor este assunto cabe aqui uma breve explicação do que são relatórios gerenciais.

Relatórios gerenciais são documentos gerados em sistemas informatizados ou escritos que relatam fatos concretos de uma empresa. Estes dados podem ser de diversas áreas de uma organização, tais como produção, financeiro, administração geral, marketing, vendas, entre outros.

A importância dos relatórios se dá na avaliação dos dados apresentados e assim tomar as melhores decisões no desenvolvimento dos negócios. Os relatórios gerenciais devem ser elaborados com dados reais ou presumidos, no entanto é importante destacar, que quanto mais objetivo melhor.

Relatórios com muitos dados informativos nem sempre são eficazes para uma boa tomada de decisão, ou seja, a complexidade dos dados se transforma mais em um roteiro trágico do que algo cativante para ser discutido em uma reunião de equipe, por exemplo.

Aqui neste artigo, vamos conhecer alguns relatórios muito utilizados nos dias atuais para medir o desempenho das empresas, tais como os KPI’s – Key Performance Indicator, que nada mais são do que um indicador chave de desempenho. Como o próprio nome diz, KPI é um indicador utilizado para medir o desempenho processual de uma organização, afim de que se alcancem os objetivos estabelecidos, para que isso aconteça é necessário a elaboração de relatórios com as principais informações a serem avaliadas.

A alta gestão das empresas, em geral, utiliza esta técnica para uma melhor avaliação dos dados, e consequentemente se comunicar com os demais funcionários, uma vez que todos acabam se envolvendo e se alinhando as estratégias previamente estabelecidas para a organização por meio da quantificação do desempenho, o que permite que todos os trabalhadores entendam o quanto as atividades exercidas por cada um podem impactar na qualidade e no desenvolvimento da empresa.


Há alguns KPI’s e indicadores que são de suma importantância conhecer principalmente àquelas pessoas que trabalham nas áreas de vendas e marketing, a saber:

Win Rate: utilizado nas áreas de vendas e marketing para quantificar os leads que foram convertidos em clientes. O cálculo é bem simples basta dividir o total de clientes pelo total de leads (C/L). Caso a taxa de conversão em um determinado período fique em 50% significa que empresa obteve sucesso nos negócios, ou seja, obteve retorno em metade de suas tentativas, abaixo deste percentual, o retorno foi insatisfatório.

Customer Lifetime Value – CLV: indica o valor da receita que cada cliente representa para um negócio durante o período em que o cliente estiver ativo. O cálculo é bem simples basta multiplicar o valor médio de compras de um cliente pelo número de vezes que (o consumidor comprou durante o ano) X (o número de anos que o consumidor permanece como cliente da empresa) feito isso se encontra o valor do CLV. Este relatório pode ser melhor analisado, quando há comparação com o CAC, que veremos a seguir.

Custo de Aquisição de Clientes – CAC: muito utilizado em startups este KPI é praticamente uma análise de viabilidade de um determinado modelo de negócio. Para calcular basta somar todos os gastos com Marketing e Vendas de um período e dividir pelo total de clientes que foram conquistados pela empresa. Quando o índice do CAC está muito elevado é sinal de que as estratégias adotadas não estão sendo eficientes. No entanto, quando os dados estão baixos é sinal de que o negócio está crescendo e há retorno de investimento. É importante destacar aqui que o CLV nunca pode ser menor do que o CAC, caso contrário a empresa ficará no prejuízo.

Retorno de Investimento em Marketing – ROI: é o indicador que mede a relação entre a receita e os custos que foram gerados durante uma campanha de marketing. O cálculo é feito da seguinte maneira: (ganho obtido – investimento) dividido por investimento. Quando há um resultado positivo é sinal de que os retornos superaram os custos e houve lucros rentáveis. Agora se o resultado for negativo significa que os custos superaram o investimento, e neste caso há uma perda líquida.

Net Promoter Score – NPS: é um indicador de lealdade dos clientes. Esta métrica foi criada em 2003 por Fred Heichheld para medir a satisfação dos clientes. Este cálculo é feito com base em apenas uma pergunta, a saber: Qual é a probabilidade de você recomendar a nossa empresa, produto ou serviço a um amigo ou colega? A pontuação para esta resposta obedece uma escala de 0 a 10. Com toda certeza em algum momento, as pessoas já responderam a esta pergunta depois de utilizar um serviço de saúde ou banco, por exemplo. As pessoas que respondem com 9 ou 10 são chamadas de Promotores, ou seja, clientes satisfeitos; de 7 ou 8 são as Passivas ou Neutras e as 0 a 6 são as Detratores. O cálculo é feito com base nestes dados, ou seja, se subtrai a porcentagem de clientes Detratores da porcentagem de clientes Promotores. Os clientes Passivos ou Neutros não afetam o resultado líquido global.

Churn Rate: um dos indicadores mais importantes considerados nas áreas de marketing e vendas, pois ele calcula a evasão dos clientes, ou seja, a taxa de rotatividade. O cálculo é feito dividindo o número de clientes perdidos pelo total de clientes que a empresa possuía no período analisado. Quando o resultado é elevado significa que os clientes estavam insatisfeitos com os produtos e/ou serviços oferecidos, o que é um péssimo resultado para a empresa.

Objectives and Key Results – OKR: esta métrica é muito utilizada por empresas do Vale do Silício para definir os objetivos e conjunto de resultados chaves da empresa. Na verdade esta métrica é um modelo de gestão ágil de desempenho, pois a estratégia está na resolução da comunicação entre as áreas de negócio, além de engajamento dos colaboradores tendo senso de propósito e foco. O que faz com que as empresas saibam como sobreviver em épocas de crise e consigam prosperar, apenas utilizando metas de como chegar lá, incentivando assim todos os envolvidos.


Marketing Digital: os KPI’s utilizados no marketing digital são essenciais para a análise de performance digital e assim é possível elaborar a melhor estratégia para que as empresas tenham um bom rendimento financeiro. Os principais KPI’s utilizados nesta área são os seguintes:

·        Tráfego do site;

·        Origem do tráfego;

·        Taxas de conversão;

·        E os utilizados nas áreas de marketing e vendas.

Além destes indicadores, há também outros que são utilizados em outras áreas da empresa e que podem auxiliar nas principais tomadas de decisão, a saber:

Produtividade: muito utilizado na área financeira e de negócio, pois tem como objetivo avaliar o impacto dos processos nos rendimentos da empresa identificando o quanto de recurso é gasto para gerar um produto ou serviço. Os principais KPI’s utilizados para medir a produtividade são os seguintes:

·        Índice de Lucratividade;

·        Capacidade de Produção;

·        E KPI’s utilizados na área de vendas e marketing.

Qualidade: os indicadores de qualidade são utilizados para  analisar os possíveis imprevistos e/ou falhas que podem acontecer na produção dos produtos, ou seja, identifica os desvios e inconformidades da produção. Alguns dos KPI’s mais utilizados nesta área são os seguintes:

·        Eficácia;

·        Eficiência;

·        Efetividade.

Logística: utilizados para avaliar o desempenho dos processos logísticos. Os principais KPI’s utilizados nesta área são os seguintes:

·        Time to Market;

·        On Time Delivery – OTD;

·        On Time Shipping;

·        Order Cycle Time – OCT;

·        On Time in Full – OTIF;

·        Perfect Order Rate;

·        Estoque Médio;

·        Tempo Médio de Entrega.

A gestão feita por meio de KPI’s – Key Performance Indicators tem feito com que muitas empresas invistam em qualidade e eficiência de seus processos, a fim de evitar perdas e beneficiar tanto os clientes como os colaboradores.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Licença Creative Commons
O trabalho KPI, o que é isso? de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2021/03/kpi-o-que-e-isso.html.

Nem tudo são flores no mundo dos negócios

 Marisa Fonseca Diniz


O mundo dos negócios é maravilhoso, no entanto, dependendo do período econômico pode ser cruel. Empresas que antes eram ditas como excelências mantendo-se no topo da lista das maiores e melhores foram ficando com o tempo obsoletas, simplesmente por não inovarem a linha de produção, os processos internos e muito menos acompanharem a evolução tecnológica, o que fez com que perdessem credibilidade e ficassem esquecidas pela maioria dos consumidores.

Empresas que lucram alto, mas se mantém há anos no mercado possuem alguns segredos para não desaparecem e ficarem esquecidas, a saber:

Ø Tem recursos próprios e não dependem 100% de financiamentos ou empréstimos bancários;

Ø Possuem um bom planejamento estratégico;

Ø Fazem viabilidade de negócios;

Ø Adaptam-se facilmente as mudanças;

Ø Os colaboradores diretos e indiretos se identificam com a cultura organizacional;

Ø Não há centralização da gestão;

Ø Investem em capacitação profissional.


Entre estas empresas que sobrevivem há anos de história sem sair do subconsciente dos consumidores e continuam lucrando alto por se adaptarem as mudanças estão as seguintes:

Ø Hudson's Bay Company fundada em 02 de maio de 1670 (Canadá);

Ø DG Yuengling e Filho fundada em 1829 (Estados Unidos);

Ø Basf fundada em 06 de abril de 1865 (Alemanha);

Ø Carhartt fundada em 1889 (Estados Unidos);

Ø Bayer fundada em 1 de agosto de 1893 (Alemanha);

Ø Brookfield fundada em 07 de abril de 1899 (Canadá);

Ø Souza Cruz fundada em 25 de abril de 1903 (Brasil);

Ø Droga Raia fundada em 1905 (Brasil);

Ø LLBean estabelecida em 1912 (Estados Unidos);

Ø Cubana de Aviácion fundada em 8 de outubro de 1929 (Cuba).


Na mão contrária, muitas empresas antes ditas como excelência em suas áreas de atuação acabaram perdendo espaço e diminuírem drasticamente sua lucratividade. Dentro destes exemplos temos as seguintes empresas:


Fundada em 1982 foi considerada uma das maiores empresas fornecedoras de PCs no mundo durante as décadas de 1980 e 1990. Acabou ficando obsoleta e acabou sendo engolida pela  Hewlett-Packard Company, empresa de tecnologia que foi fundada em 1939 e continua ativa até hoje. A Compaq existiu por apenas 20 anos (1982-2002).

A empresa começou como Long Discount Services  no ano de 1983, e em 1995 mudou o nome para WorldCom em 1995. Uma série de mega fusões transformaram a empresa, sendo renomeada como MCI WorldCom em 1998, no entanto nos anos seguintes o setor de telecomunicações entrou em recessão por um longo tempo. Em 2002, depois de uma auditoria foi constatado uma fraude contábil entrando em um longo processo de falência, mudando o nome da empresa para MCI. Em 2006, a Verizon comprou a MCI, e a maioria de suas operações se tornou o que hoje é conhecido como Verizon Business.


A história da Eastern é bem interessante, pois eles começaram suas atividades como uma operadora do Serviço Postal dos EUA em meados da década de 1920. Ao longo dos anos acabaram  adquirindo algumas empresas de turismo e expandiram dominando dessa maneira o lucrativo corredor da Costa Leste nos anos de 1950. A companhia aérea prosperou muito na década de 1970, sendo uma das quatro principais companhias aéreas americanas. No entanto, após a Lei de Desregulamentação do Transporte Aéreo de 1978 e a deterioração das relações trabalhistas, a empresa acabou entrando em falência em 1989, e encerrando definitivamente suas operações em 1991.


A Eron foi uma empresa de energia com mais de 22.000 funcionários e chegou a arrecadar US $ 111 bilhões no ano 2000, antes que uma enorme fraude contábil ser revelada. Agora é o símbolo da fraude e corrupção corporativa tendo sua falência decretada no ano de 2001, sendo até os tempos atuais considera a maior fraude da história dos EUA.


A representação do luxo era viajar pela Pan Am, a empresa era considerada uma das líderes mundiais em viagens nas décadas de 1960 e 1970. A Pan American World Airways, ou simplesmente Pan Am foi uma companhia aérea internacional que operava entre os anos 1927 e 1991, quando encerrou suas operações após mais de uma década de perdas financeiras crescentes declarando dessa forma a falência.


A lendária empresa de consultoria e auditoria Arthur Andersen foi uma referência para muito profissionais e organizações tendo suas atividades iniciadas em 1913 até 2002. Quando da sua fundação no ano de 1913, já era membro das empresas de contabilidade "Big 8", que mais tarde se tornou o "Big 5". A queda da Arthur Andersen foi em consequência de ter sido auditor da Enron usando sua credibilidade para burlar dados contábeis de seus clientes, principalmente da Enron (empresa de energia). Em 2002, a empresa renunciou voluntariamente a suas licenças para atuar como CPAs após ser considerada culpada de acusações criminais, resultando na demissão de 85.000 empregados.

Empresas que antes eram ditas como sucessos ficaram esquecidas no passado, simplesmente por acreditarem que a gestão era eficiente demais, não haveria crise econômica que as derrubassem e muito menos concorrentes a altura delas mesmas, um grande erro!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Licença Creative Commons
O trabalho Nem tudo são flores no mundo dos negócios de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2021/03/nem-tudo-sao-flores-no-mundo-dos.html.