Você moraria em uma Ecovila?



Marisa Fonseca Diniz




Ecovila é um modelo de assentamento humano sustentável, que pode ser rural ou urbana, onde pessoas com os mesmos propósitos sociais, econômicos, espirituais e ambientais vivem reunidas na mesma comunidade. As comunidades podem ter  de 50 a 2.000 pessoas dando prioridade aos seguintes aspectos sustentáveis:

Produção local e orgânica dos alimentos (Permacultura): os processos e técnicas de produção respeitam o meio ambiente, não são utilizados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto que cause danos à saúde;




Utilização de sistemas de energia renovável: é a utilização de todos os recursos naturais, tais como sol, vento, chuva através de cataventos, biogestores, etc; 



Construção ecológica: as casas devem ser produzidas com matérias sustentáveis de baixo impacto ambiental, bambu, tijolos adobe são exemplos de materiais que são utilizados nas bioconstruções; 




Criação de esquemas de apoio social e familiar: conservar as tradições familiares e regionais, tais como danças circulares, celebrações, etc;



Governança solidária: utilizar processos de tomada de decisão baseadas em técnicas de democracia e facilitação de conflitos;

Economia auto-sustentável: baseada em conceitos de cooperativismo, rede de trocas e simplicidade voluntária;


Saúde integrada, educação transdisciplinar e holística: teoria que utiliza os organismos vivos e o meio ambiente.

As ecovilas são um movimento global que une o ocidente ao oriente na mesma filosofia de vida tendo como foco principal a preservação do meio ambiente. Em 1998, as ecovilas foram oficialmente nomeadas em uma lista da Organização das Nações Unidas - ONU tendo as 100 melhores práticas sustentáveis.




Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho Você moraria em uma Ecovila? de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/voce-moraria-em-uma-ecovila.html.

Quando o sonho vira realidade



Marisa Fonseca Diniz


Caso você esteja pensando que este artigo é mais um daqueles com receita básica de como produzir sonhos apetitosos, então sinto em te falar que o assunto aqui hoje é de como tornar os sonhos realidade. Em algum momento da vida, as pessoas têm vontade de colocar em prática sonhos e objetivos, e este desejo de realização vem sempre após um período traumático de estagnação profissional ou de crise financeira. Aparentemente pode ser um período péssimo para largar o emprego estável e partir para uma nova empreitada, mas se olharmos por outro ângulo é o melhor momento para se tomar decisões concretas sobre como tirar os sonhos encostados na gaveta.


A insatisfação na carreira profissional muitas vezes é o gatilho necessário para se colocar um projeto em ação, e por que não abrir uma empresa? O que para muitas pessoas possa ser um tiro no escuro para outras pode ser a solução para seus problemas pessoais e profissionais.   O desânimo deve ser colocado de lado e com muito otimismo amadurecer a idéia de que ter algo próprio pode ser não apenas uma solução para a falta de oportunidades de trabalho como também a possibilidade de colocar em prática todos os sonhos planejados ao longo dos anos.

O empreendedorismo não pode ser visto como algo difícil de realizar, e sim como uma maneira simples de concretizar os sonhos. Empreender é agregar valor, identificar oportunidades e transformá-las em um negócio inovador e lucrativo.  O mundo dos negócios gira muito rápido e não há nada melhor do que empreender. A cada ano que passa mais e mais pessoas abrem um negócio próprio, porém é sabido que nem todos conseguem ir adiante com a empresa, e por quê?  Porque lhes falta conhecimento sobre determinados assuntos relacionados ao segmento que desejam atuar, além de falharem ao buscarem o profissional correto e qualificado que poderá os orientar na abertura do empreendimento.

O primeiro passo para sair do ponto morto e engatar a primeira marcha é procurar elaborar uma viabilidade de negócios, a fim de saber se a idéia inovadora terá publico pagante, ou seja, se haverá clientes interessados em adquirir determinado produto ou serviço. A viabilidade infelizmente é sempre deixada de lado, por dois motivos, uma porque os interessados não sabem elaborá-la, e outra porque a maioria das pessoas não sabem a real importância dela para o futuro empreendedor.

O Estudo da Viabilidade Econômica e Financeira – EVEF tem como objetivo ajudar o empreendedor a avaliar o plano de investimento a ser realizado, a fim de demonstrar a viabilidade ou inviabilidade de um produto, serviço ou projeto nos aspectos mercadológicos, financeiro e operacional. A viabilidade de negócio permite desenvolver novas idéias de como o empreendimento deve ser conduzido.

Dentro da importância em se desenvolver a viabilidade se faz necessário ter um Plano de Negócios para refinar as oportunidades estratégias a serem utilizadas no empreendimento. O Plano de Negócios é uma ferramenta muito útil para o empreendedor, pois avalia o desempenho da empresa em um período de longo prazo possibilitando a elaboração de um plano estratégico eficiente a ser utilizadas como ferramenta as futuras negociações. Um Plano de Negócios bem elaborado é excelente, o que possibilita ganhos financeiros, além de aprovações de empréstimos bancários ou financiamentos.

Feito as preliminares necessárias para que o futuro empreendedor tire os sonhos do bolso e siga adiante em seu projeto, o pontapé inicial, o próximo passo é ir à busca de um profissional de contabilidade para que a empresa seja aberta.  Alguns aspirantes a empreendedorismo quando tem uma idéia inovadora tendem a ir ao mercado antes para buscar investidores que queiram aplicar seu dinheiro no desenvolvimento do negócio, que seriam os investidores anjo. Investidor anjo é uma pessoa física que faz investimentos com seu próprio capital em empresas nascentes com alto potencial de desenvolvimento, sejam  startups ou não.

Empreender não é um bicho de sete cabeças, pois com determinação e força de vontade qualquer pessoa estará apta para sair da zona de conforto e seguir novos desafios. Ao invés de ficar aí reclamando da crise econômica do país ou da falta de oportunidade de trabalho, tire o coelho da caixa, ou seja, dê vida aos seus sonhos transformando a sua vida em algo positivo, e seja um empreendedor de sucesso.

Pense sobre isso!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho Quando o sonho vira realidade de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/quando-o-sonho-vira-realidade.html.

Edifícios Inteligentes


Marisa Fonseca Diniz


A arquitetura tem evoluindo tão rápido quanto os grandes centros urbanos, a partir da década de 1970 um grupo de arquitetos fez o uso irônico de modelos arquitetônicos relacionados a máquinas e indústrias surgindo dessa maneira à arquitetura High-Tech ou a alta tecnologia.


A arquitetura High-Tech se refere ao pós-modernismo utiliza técnicas modernas de construção, designs arrojados e materiais como vidro, aço e concreto que é muito apreciado pelos arquitetos modernistas contemporâneos. Quanto mais a tecnologia evolui, mais equipamentos modernos e novos materiais surgem e são utilizados na indústria da construção.



A arquitetura de alta tecnologia integra equipamentos técnicos na estrutura dos edifícios fortalecendo o impacto em um estilo High-Tech tanto em termos de matéria funcional como visual surgindo dessa maneira os edifícios inteligentes.

Os principais elementos técnicos utilizados nos edifícios inteligentes são células solares, sistemas técnicos elétricos, hidráulicos, climatização, circulação, uso intenso de cores vivas, acabamentos metálicos, vedações com painéis industrializados, vidros, grandes vãos, estruturas tensionadas entre outras tecnologias de última geração.




O Capital Tower localizado em Cingapura é um dos edifícios inteligentes mais antigos e  moderno no mundo e nos últimos 15 anos vem estabelecendo tendências High-Tech. A construção do edifício foi concluída em 2000 e integra o sistema inteligente de gestão de edifícios – IBMS para serviços e instalações. O edifício possui 254 metros de altura, sendo 52 andares.

A gestão do estacionamento é altamente inteligente, os elevadores da torre mostram em tempo real boletins de notícias nos painéis duplos de LCE e a energia fornecida é sistema eco-friendly.




O Shangai Tower é o edifício mais alto da China inaugurado em 2015. O edifício possui 632 metros de altura com 128 andares ocupando cerca de 380.000 metros quadrados. A torre é organizada como nove edifícios cilíndricos empilhados em cima um dos outros, delimitada pela camada interna da fachada de vidro. O desenho da fachada de vidro é capaz de reduzir cargas de vento sobre o edifício em 24%, porque menos materiais de construção foram utilizados e o recurso de torção coleta a água da chuva que é utilizada no condicionamento da torre de ar e nos sistemas de aquecimento. As turbinas eólicas geram energia ao edifício. 


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho Edifícios Inteligentes de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/edificios-inteligentes.html.

O que devemos esperar dos próximos anos?



Marisa Fonseca Diniz


Os últimos anos foram bem difíceis para o setor da construção civil no Brasil, isto é um fato, não podemos negar, a quantidade de escândalos sobre empresas do setor envolvidas em corrupção foram enormes, o que não é uma surpresa para quem trabalha no setor há muitos anos, mas é um fato que todos tentam de certa maneira esconder embaixo do tapete.


Não podemos negar que a maioria dos brasileiros ainda tem aquela velha concepção de que para crescer na vida e ter sucesso imediato nos negócios é necessário se deixar corromper, o que é um grande erro. Jamais devemos nos deixar corromper por tanta mesquinharia, pois se observarmos muitos dos empresários arrolados nos escândalos vem por longos anos roubando, explorando e escravizando muitos outros bons profissionais e empresários.

No início das investigações sobre corrupção, muitos indivíduos tinham quase certeza de que tudo acabaria em pizza, mas nem tudo acabou dessa maneira, muitos dos intocáveis empresários cumprem atualmente pena em presídios federais, mas mesmo assim, a corrupção não termina, simplesmente porque faz parte da cultura do brasileiro, levar vantagem sobre tudo e todos, não é a toa que o país empaca mediante qualquer crise econômica ou política.



A corrupção é um mal que precisa ser combatido, pois todos pagam a conta no final, a quantidade de dinheiro desviado dos cofres públicos e privados faz com que toda a população de um país seja indiretamente co-responsável por estes desvios. Não podemos nos enganar, mas enquanto uma pequena parcela da população se enriquece ilicitamente a outra parte se torna cada vez mais miserável.

O setor da construção civil está debilitado, isso é um fato incontestável, porém não podemos ficar estagnados mediante a situação, há a constante necessidade de arregaçar as mangas e seguir adiante enfrentando o dragão que nos consome diariamente por falta de obras e o desemprego.

O setor da construção civil sempre foi à base de apoio da economia brasileira e não é porque a situação anda complicada que temos que ficar nos lamentando por todos os problemas, os empresários e profissionais do setor precisam ter em mente a necessidade de se inovarem, sim, o país anda anos luz atrasado quando o assunto é inovação, sustentabilidade e energia renovável.




Não podemos negar, o Brasil é um país rico, muito rico em recursos naturais, pois temos abundância de sol e vento, água doce nem tanto, mas temos uma grande porção do oceano que banha nosso litoral. Só não temos o mais importante, capacidade industrial para produzir os equipamentos necessários para a captação desses recursos e transformar em energia, e muito menos altos investimentos em pesquisas para desenvolver processos, equipamentos e produtos sustentáveis que possam nos auxiliar na transformação desses recursos naturais.

O que nos torna reféns dos conhecimentos estrangeiros e da importação de materiais e equipamentos. Não podemos nos deixar levar por modismos, mas o setor da construção civil precisa se adaptar as mudanças e entender, por exemplo, que a sustentabilidade não é um modismo, e sim uma necessidade. Precisamos ter consciência de que as empresas e profissionais que não se adaptarem as mudanças estarão fadados a ficar para trás na no fechamento de negócios, e um dos pontos mais importantes da sustentabilidade dos negócios se chama ÉTICA, sim essa tal de ética que está em falta no setor é o que mais empaca o crescimento do setor.



Que neste e nos próximos anos, a consciência da importância em se tornar sustentável esteja presente no dia-a-dia dos profissionais de engenharia e nas empresas indiretamente conectadas ao setor da construção civil, não apenas para desenvolver a economia do nosso país como também aplicar as técnicas sustentáveis na construção na conservação e preservação do meio ambiente que nos envolve.


A educação é a chave para um mundo mais sustentável , e este é o caminho que temos que seguir no ano que se inicia. Não adianta ficarmos batendo sempre na mesma tecla que o Brasil não tem jeito ou que a economia brasileira não vai para frente, cabe a cada um de nós sermos a diferença que queremos no nosso país, e o primeiro passo somos nós que temos que dar.
Invés de fugirmos para o exterior como cordeiros assustados, sejamos aqueles que mudarão o país no futuro próximo, sem falsas promessas de um crescimento medíocre, e sim cientes da necessidade de que todos os envolvidos nesse processo sejam responsáveis pelo desenvolvimento econômico do Brasil. 

E que venha outros anos, a fim de que todos possam fazer a diferença com muita determinação, perspicácia e vontade de crescer!


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho O que devemos esperar dos próximos anos? de Marisa Fonseca Dinizv está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/o-que-devemos-esperar-dos-proximos-anos.html.

O segredo das mulheres empreendedoras que são um sucesso

Marisa Fonseca Diniz


Quem já não invejou uma mulher bem sucedida e quis saber qual o segredo do sucesso? Não podemos negar que com crise ou sem crise econômica, as mulheres tem o poder de se reinventar na carreira profissional, não importando em que área elas trabalham, pois o importante é estar executando uma função que proporcione algum ganho financeiro, uma vez que a maioria das mulheres possuem diversas responsabilidades a cumprir.


Infelizmente, o grande contingente de mulheres que atualmente está no mercado de trabalho nunca são reconhecidas pelas suas experiências e nem ganham salários justos em comparação aos homens, mesmo assim elas ainda são as que mais investem em estudos e tem a capacidade de se adaptarem melhor as mudanças. A perspicácia e a determinação faz com que o sexo frágil busque melhores oportunidades de trabalho ou se reinventem para melhor se adaptar as mudanças do mercado, e dentro deste grupo estão àquelas mulheres que persistem em ter um negócio próprio mesmo não tendo condições financeiras para investir num primeiro momento em uma empresa.

No cinema ou na vida real muitas são as histórias de mulheres que ultrapassaram a barreira do medo para se dedicarem a uma carreira mais promissora colocando a coragem em ação e indo atrás dos seus sonhos. O filme Julie & Julia é um exemplo de como uma mulher pode se sobressair cozinhando, mesmo que esta atividade possa parecer sem muita importância, mas foi à saída de encontrada por Julia Child, uma americana que se mudou com o marido para Paris. Sem nada para fazer, Julia decidiu ocupar seu tempo ocioso cozinhando, porém suas receitas fizeram tanto sucesso que ela foi convidada a apresentar um programa de TV, e logo em seguida escreveu um best-seller de culinária. Para muitas pessoas um hobby ou uma atividade diária pode se tornar um diferencial e render bons lucros.

Quantas mulheres divorciadas com filhos para criar ou até mesmo sozinhas dão a volta por cima nas dificuldades enfrentadas diariamente e vão à luta criando alternativas para ter uma renda melhor? É o caso de Joy Mangano retratada no filme Joy, uma jovem dotada de criatividade em inventar produtos que conciliou a jornada de mãe solteira e tornou-se uma das empreendedoras de maior sucesso nos Estados Unidos, onde seu diferencial de mercado foi criar um esfregão milagroso. Quantas mulheres já não tiveram uma ideia inovadora e criaram produtos eficientes para ajudar muitas outras pessoas? 

Pensando em soluções eficientes é que as mulheres tem demonstrado sua capacidade empreendedora e tem dado a volta por cima nas dificuldades.
Muitas mulheres no passado costuravam para amigas e investiram nessa profissão tornando-se grandes empreendedoras, basta ver o exemplo de Coco Chanel retratado no filme Coco antes de Chanel, que se consagrou uma das estilistas mais famosas e bem sucedidas do mundo. Imagine quebrar tabus usando roupas masculinas, tais como calças e paletós confeccionados por ela mesma e se tornar o símbolo da mulher moderna? Não é para qualquer um, mas quem persiste no sonho e vai atrás das oportunidades sem pestanejar nunca sai no prejuízo. O sucesso sempre vem no tempo certo, mas não podemos esquecer que para chegar a ele deve se ter determinação, criatividade e aproveitar todas as oportunidades.

Empreender é isso, ser e ter diferencial de mercado para sobressair à frente das demais pessoas, nem sempre empreender necessita de muito investimento financeiro. Atividades simples podem se tornar um sucesso, quantas mulheres não superaram a crise financeira preparando bolos, marmitas, geleias, confeccionando lembranças de chá de bebe, roupas, elaborando festas aos amigos ou até mesmo dando aulas particulares e transformaram sua atividade extra em uma promissora empresa? Muitas, que o exemplo destas mulheres sirva a todos que desejam ter um empreendimento de sucesso.

Não podemos esquecer que para conquistar o sucesso, alguns pontos são necessários:

Ø Determinação;

Ø Criatividade;

Ø Persistência;

Ø Dedicação;

Ø Disposição;

Ø Perspicácia;

Ø Ousadia;

Ø Humildade;

Ø Paciência.

Quem estiver preparado para correr riscos tem grandes chances de se dar bem como empreendedor, pois quem for imediatista não só atropelará os seus projetos como também tem grandes chances de naufragar. 


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho O segredo das mulheres empreendedoras que são um sucesso de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/o-segredo-das-mulheres-empreendedoras.html.

Plataformas Petrolíferas


Marisa Fonseca Diniz



A plataforma petrolífera é uma grande estrutura usada na perfuração de poços em alto mar ou em terra firme. As plataformas podem abrigar trabalhadores ou equipamentos necessários para a perfuração e extração de petróleo ou gás natural.

As plataformas fixas funcionam como um edifício, pois são cravadas com estacas. Elas podem ser de dois tipos: jaqueta ou gravidade. As tipo jaqueta e gravidade são fabricadas de aço e/ou concreto e podem ser utilizadas para produção de petróleo até 400 metros de profundidade. Podem operar sozinhas enviando diretamente para a terra o óleo através de tubulação, ou podem ser operadas com navio acoplado à plataforma. A diferença entre estas duas plataformas é que a do tipo gravidade apóia-se no fundo do mar por gravidade.




As plataformas auto-elevatórias são unidades móveis que quando estão em operação abaixam os cilindros ou jaquetas, e se apóiam no fundo do mar. Estas plataformas são mais resistentes e transparentes as ondas em águas mais profundas.


As plataforma semi-submersível consiste em uma plataforma superior sempre acima da linha d’água ligada por colunas aos cascos. Prospecta petróleo em campos de águas profundas. 



A maior plataforma petrolíferas no mundo já construídas até hoje é:

Plataforma Perdido Regional Development Spar: é a plataforma mais profunda do mundo, localizada no Golfo do México a 2.438 metros de profundidade de propriedade da Shell. Com capacidade para produzir 100.000 barris de petróleo e 61.000 milhões de metros cúbicos de gás por dia. É quase tão alta quanto a Torre Eiffel e pesa o equivalente a 10.000 carros.



Assista o vídeo com mais informações sobre a Perdido Spar: 



Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho Plataformas Petrolíferas de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2018/04/plataformas-petroliferas.html.