Investindo no Brasil


Marisa Fonseca Diniz



Atualmente, o Brasil está passando por situações políticas e econômicas adversas, porém o país ainda é tido como uma nação de oportunidades. O vasto território de um pouco mais de 8.515.000 km² e o clima tropical colaboram para o desenvolvimento de projetos sustentáveis, sendo a energia renovável um dos mais promissores projetos na geração de energia, que funcionam como uma alternativa produtiva para a substituição da energia gerada através da água.

A sustentabilidade é vista como o processo de um sistema que tem a função de interagir o ser humano com o mundo preservando o meio ambiente, a fim de não comprometer os recursos naturais das gerações futuras. Atualmente, a consciência da importância em conservar o meio ambiente garantindo um futuro promissor às próximas gerações tem feito com que a sustentabilidade não fique restrita apenas as questões ambientais como também integre as questões sociais, econômicas e energéticas.



Mediante a necessidade em conservar o meio ambiente há a necessidade de empresas desenvolverem métodos eficazes para a produção de materiais, equipamentos e processos eficientes para a construção de casas mais sustentáveis,além de equipamentos eficazes na geração de energia renovável.


Parcerias consistentes com empresas responsáveis e éticas podem alavancar e proporcionar o avanço da criação de processos, técnicas e produtos totalmente favoráveis à conservação do meio ambiente, sem deixar de lado a eficiência e a qualidade dos serviços prestados.  A ideia de integrar a área de desenvolvimento de negócios a projetos de engenharia sustentável tem a possibilidade de atingir todos os setores da economia,  e proporcionar a ampliação de uma rede de networking profissional com a indústria internacional da construção, por exemplo, a fim de atender todas as necessidades do mercado nacional.

O Brasil por ter recursos naturais em abundância, tais como: água, sol e ventos é o mercado ideal para receber investimentos estrangeiros interessados em implantar parques industriais dentro do seu território, a fim  produzir em larga escala equipamentos e materiais sustentáveis, que possam auxiliar a expansão do setor construtivo tão carente de moradias populares.

As oportunidades no mercado nacional são infinitas principalmente àqueles investidores cientes de que uma boa rentabilidade a médio e longo prazo se faz necessário, a sustentabilidade ainda é uma área nova no país, e sedenta de investimentos. 

Vale a pena investir em um país que tem grandes possibilidades de ser no futuro próximo um recordista na produção de energia limpa!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Por onde anda o bom senso?


Marisa Fonseca Diniz



O “bom senso” definitivamente está em falta no mundo, a cada dia que passa as pessoas perdem completamente a noção da seriedade seja na vida profissional ou pessoal, e pouco se importam com suas atitudes ou com as consequências que elas possam trazer para quem quer que seja.

A globalização que por um lado veio para ampliar as relações, por outro tem criado uma legião de pessoas aleatórias a ética corporativa.  O agravamento e o empobrecimento da economia mundial tem feito com que o pior do mercado profissional aflore instintivamente.  O que comprova que quanto maior o desespero das pessoas, maior será a maneira como elas irão tentar ganhar dinheiro a qualquer custo, nem que para isso tenham que agir de má fé ou manipular a opinião alheia.

Em todas as crises mundiais sempre se ouviu falar dos aproveitadores, ou seja, aqueles indivíduos que adoram explorar os outros, não importando em que ambiente se encontram. As desculpas para esta prática exploratória são as piores possíveis, que vão desde a falta de posicionamento de parcerias fadadas a um só dos lados ganhar dinheiro até a promessa do dinheiro fácil ou do emprego milagroso. O que comprova o quanto as pessoas são mal intencionadas quando o assunto se resume a dinheiro.

O bom senso realmente nunca é usado como argumentação de razoabilidade, muito pelo contrário, é ignorado pelas pessoas por falta de sabedoria de usá-lo de maneira correta.  Nas questões corporativas, o bom senso é fundamental nas tomadas de decisão, pois os gestores capacitados tendem a analisar todas as variáveis antes de tomar qualquer tipo de decisão, porém a falta deste senso crítico faz com que decisões sejam tomadas por impulso sem medirem as consequências dos atos.

Profissionais gananciosos e mal preparados para enfrentar as adversidades do mercado, atropelam processos e consegue perder até mesmo simples negociações por não visarem à ética, e sim o ganho. Porém, não percebem que invés de ganharem, perdem contatos, negócios e oportunidades de evoluírem em suas áreas de atuação.

A falta de bom senso, infelizmente não fica apenas restrita a uma determinada área e sim envolve diversos departamentos e setores corporativos. Profissionais que se baseiam em mentiras, desrespeito e falta de ética são os que mais deterioram a imagem de uma empresa e dos envolvidos.

Regras, normas ou processos são inteiramente ignorados por indivíduos que acreditam que eles são mais importantes do que todo o processo ético, atropelando quem estiver pela frente não importando com os danos que podem causar.

Estas mesmas pessoas que cometem estes equívocos nas empresas são os mesmos que não tem bom senso no dia a dia, seja em uma confraternização, em uma rede social ou até mesmo em uma conversa descontraída com os amigos. O comportamento antiético passa a ser normal e gafes terríveis são cometidas persistentemente.

O bom senso tem que fazer parte não apenas da ética corporativa, mas também da cultura do cidadão, a fim de que menos danos sejam causados a outrem. Por onde anda o bom senso mesmo?

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.


Qual o tamanho dos seus sonhos?


Marisa Fonseca Diniz



O mundo está em constante atividade, onde tudo muda muito rápido, principalmente quando o assunto é trabalho. Há anos o conceito trabalho vem mudando, o que antes significava segurança, hoje não passa de um assunto mais complexo, onde o processo é totalmente diferente da empregabilidade.

A crise econômica global fez com que o conceito mudasse e exigem mais envolvimento dos profissionais nas atividades desempenhadas, isto é, o perfil mudou e os profissionais precisam ser empreendedores. Porém, ainda há muitos profissionais que só se sentem seguros quando a carteira profissional está registrada como se a sua capacidade estivesse relacionada a isto, o que é um erro. As pessoas precisam pensar fora do seu mundinho, sem se acomodar e ficarem estagnados profissionalmente.

Todas as pessoas em algum momento de suas vidas já tiveram um sonho, seja abrir um negócio próprio, mudar de cidade ou até mesmo tiveram aquela ideia excepcional que mudaria a vida de  muitas pessoas, mas até onde as pessoas chegariam para ver realizado os seus sonhos?  Esta pergunta nem sempre tem respostas positivas, principalmente quando a maioria acredita que há uma crise econômica rondando suas vidas, e que não é o momento certo para investir em nada, ou seja, o medo é um dos piores inimigos das pessoas.

Quando não é o negativismo de amigos e familiares, que fazem de tudo para impedir que as pessoas realizem seus objetivos, sonhos e ideias. Em todo lugar há pessoas invejosas que começam a fazer críticas pesadas, a fim de que os idealizadores desistam do que almejam realizar. Alfinetadas que demonstram o quanto as pessoas gostam de prejudicar e sempre com  a desculpa de que querem evitar o pior, ou seja, já ficam praguejando a derrota.

As pessoas precisam ter consciência de que se elas não forem atrás dos seus sonhos e realizá-los ninguém mais fará, e pior, ainda podem ter seus sonhos e ideais roubadas por alguém mais valente a enfrentar todos os percalços e ainda transformá-los em ótimas oportunidades de negócios.

Vários são os exemplos de pessoas que fizeram com que o sonho se tornasse realidade sem ao menos terem um centavo para investir, mas em contra partida tinham muita disposição e determinação para seguirem adiante. Atualmente, a internet proporcionou a aproximação de investidores, inventores e empreendedores, e para aqueles que não dispõem de recursos e nem tecnologia há diversas linhas de crédito para colocar em prática as ideias.

Um bom planejamento e a viabilidade do negócio são muito importantes para transformar os sonhos em realidade, seja start up ou empresa. Ignore toda força negativa alheia, pois quem não ajuda só atrapalha, pior ainda quando o retorno não é imediato, sempre terá alguém que fará de tudo para infernizar a sua vida e falar que foi um péssimo investimento.

Não importa o tamanho dos seus sonhos, a pressão alheia, a falta de dinheiro ou a crise, o importante é realizar seus objetivos, pois emprego está em extinção e só sobreviverá quem for audacioso o suficiente para conquistar o seu espaço neste mundo globalizado. Caso contrário, o único sonho que conseguirão conquistar é aquele das vitrines nas  docerias e padarias espalhadas pelo mundo afora.

Qual o tamanho dos seus sonhos mesmo?

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Qual o tamanho dos seus sonhos? deMarisa Fonseca Diniz está licenciado com uma LicençaCreative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.