Pare tudo que está fazendo...


Marisa Fonseca Diniz



...e sinta a brisa do mar, sim pare tudo que está fazendo agora, e pense em tudo que te aconteceu durante este ano, não foi fácil, mas veja pelo lado positivo, se nada disso tivesse acontecido com certeza você não estaria aqui lendo este artigo.

Medite em todas as situações boas e ruins, e veja quais os aprendizados que obteve com tudo isso. Realmente ficar sem emprego ou trabalho não é nada fácil, nos sentimos impotentes e parece que tudo desequilibra, mas é uma ótima oportunidade para se redescobrir em tudo aquilo que estava escondido como, por exemplo, a criatividade.


Ah você não é uma pessoa criativa e muito menos tenta ser, pois acha que não nasceu para isso e não entende como tem pessoas que conseguem ser tão criativas? Tudo na vida tem um porquê mesmo que leve algum tempo para entender porque a tal criatividade é tão importante, sendo um diferencial na vida de algumas pessoas.


Relaxe, diversas ideias passam pela mente quando nos dispomos a tentar fazer algo diferente, mas nem sempre o conveniente bate a nossa porta, principalmente quando estamos desesperados por um emprego. Mas, será que emprego é a melhor solução para a nossa vida? Será que não é mais interessante sermos empreendedores ou especialistas em alguma área onde poucos indivíduos tem conhecimento técnico?  

Que dilema! Quando estamos desesperados não enxergamos nada e tudo que mais almejamos é apenas ganho financeiro, e é justamente nessa fase que deixamos passar as oportunidades.  Oportunidades estas que fazem toda a diferença nos dias atuais até porque quem não se reinventa não sai do lugar.

Quantos são aqueles indivíduos que insistem na teimosia e acham que o mercado de trabalho deve contratá-los apenas pela experiência adquirida ao longo dos anos, esquecendo-se por completo de enfatizar que conhecimento não está apenas na prática e sim no interesse em adquirir constantemente novos conhecimentos por meio dos estudos? Não me venha com aquela desculpa de falta de tempo ou dinheiro para fazer um curso de atualização, não, os tempos mudaram e pelo visto não percebeu ficando com a cabeça no passado.


Sim, atualmente há diversos cursos gratuitos que universidades do mundo todo disponibilizam na internet para quem está disposto a aprender, basta ter disciplina e começar a fazer. Não deixe a desculpa tomar conta, pois, quem quer faz a diferença entre os demais.

Nunca se escutou ou leu tanto neste ano a importância em se inovar, sair da caixa, sustentabilidade, empatia, empreendedorismo etc, mas o que tudo isso tem a ver com as oportunidades de trabalho? Tudo. Ah e você não percebeu isso? Você é do tipo de pessoa que usa a internet apenas para se divertir e não lê nada de interessante nos canais abertos de notícia? Que pena!





Um grande erro quando as pessoas associam a sustentabilidade a um modismo, algumas pessoas de nacionalidades diversas estão realmente atrasadas em tudo por preguiça de ler ou de se atualizar. Muitas pessoas vivem ainda no período da primeira revolução industrial, e não perceberam que já estamos vivenciando a 4ª Revolução Industrial, e que esta tal de sustentabilidade está diretamente associada a todo esse processo.


Desperta corpo que dorme, leia mais sobre economia, política, sociedade ao redor do mundo e saia da zona de conforto, abra a mente para as novidades e enxergue além do que vê, caso contrário você vai ficar aí estagnado por diversos períodos de tempo, e não se esqueça de que o tempo passa rápido demais e hoje você pode ser jovem para o mercado de trabalho e amanhã pode ser um ancião.


Lembro-me do tempo em que eu ainda era uma menina e as pessoas diziam que iríamos ser o país do futuro, hoje com meio século de vida percebo porque o Brasil não saiu dessa promessa. Porque os brasileiros na sua grande maioria ficam esperando as ações do governo, sem perceber que esta atitude tem que vir de dentro de cada um de nós. O país está tentando sair da recessão, não porque o governo assim espera que aconteça, mas porque a classe empresarial está criando forças para superar esta recessão econômica.

Nem todos os empresários estão arrolados nesse lamaçal de corrupção, e são justamente esses que estão tentando alavancar a produção e as vendas gerando novas oportunidades de emprego e negócios. Lógico, que há aqueles empresários que fugiram do país e se instalaram em outras nações por preguiça de abraçar esta causa e ir à luta, infelizmente em toda classe social há os acovardados e os preguiçosos.

Mas, e você o que está fazendo para colocar o país novamente nos trilhos? Reclamando do governo nas redes sociais? O que há de entendidos nas redes é de espantar, mas o interessante é que nenhum deles vai até seus eleitos reclamar diretamente das promessas que não cumpriram. No Brasil acontece algo muito interessante, os políticos são seres “exclusivos” e não nossos representantes ou empregados. Muitas pessoas na verdade que  autointitulam especialistas políticos tratam nossos representantes como seres de estimação, e os defendem até no inferno sem perceberem que eles só estão lá no poder porque nós o povo os colocamos, e somos um bando de acovardados que não cobra absolutamente nada.




Está tudo errado, neste país, nós pagamos uma conta alta demais em decorrência dos erros dos nossos representantes que estão apenas interessados no próprio umbigo, e não cobramos nada dos nossos interesses, ou seja, apenas servimos para pagar os débitos da má gestão dos governos, municipal, estadual e federal.


No fundo, grande parte dos eleitores gostaria mesmo é de estar no lugar de cada um dos políticos que se preocupam em ganhar vantagem em cima de algum projeto, e é neste quesito que ninguém se dá conta do quanto o país está atrasado economicamente. Se a cultura do “jeitinho brasileiro” caísse por terra, com certeza seríamos uma potência mundial, mas não, preferimos ser o tipo de pessoa que leva vantagem em tudo sem se dar conta que toda essa prática tem nos levado a cada dia que passa para o fundo do poço.

Poucas pessoas se dão o trabalho de pensar na situação política dos países que estão ao nosso redor, cada dia que passa mais e mais miseráveis surgem no mundo, e mais e mais demagogos políticos surgem manipulando as massas populacionais. Guerras da intransigência surgem, ou seja, estamos a um passo de uma 3ª Guerra Mundial, e não percebemos o quanto isso pode acelerar o processo de miséria no mundo. O egoísmo que tem tomado conta de muitas pessoas ao redor do mundo, e é o mesmo que tem matado tantos inocentes. 


Que neste novo ano que se aproxima podemos enxergar muito mais além de nossa pequinesa e ir adiante, apagar todas as mágoas do passado e escrever uma nova história de sucesso e paz.

Que os nossos erros sejam apenas um trampolim para os nossos acertos;

Que nossos tropeços sejam apenas um incentivo para as novas ideias;

Que tudo que tenha nos entristecido, seja apenas uma lição para nossos novos momentos de alegria;

Que nossas perdas sejam apenas uma maneira de enxergamos nossa vida vitoriosa no futuro;

Que possamos começar uma nova história de maneira mais assertiva;

Que nossos medos sejam esquecidos e sejamos mais corajosos no futuro;

Que nossos fracassos sejam apenas um incentivo para o sucesso;


Deixe as magoas no passado, seja mais otimista, e jamais se deixe abater por qualquer palavra ou situação negativa em sua nova caminhada. Inove, se reinvente e não tenha medo do novo, e sim corra de tudo aquilo que atrasa a sua vida, sejam pessoas ou situações.


Vire as costas para tudo aquilo que te entristeceu, e que venha o próximo ano para sermos mais que vencedores e possamos enxergar oportunidades em tudo que nos rodeia, que a paz esteja com todos nós, e assim começamos um novo capítulo da história!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Pare tudo que está fazendo... de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2017/12/pare-tudo-que-esta-fazendo.html.




Como criar um delinquente

Marisa Fonseca Diniz



Vivemos tempos tensos em questão de educação básica, não apenas anda falha a de conhecimento que deveria ser ensinada nas escolas, como também aquela que deveria ser aprendida no seio da família, em casa.


De alguns anos para cá podemos perceber que as novas gerações andam completamente sem educação, onde não há limites, valores, regras disciplinares e tão pouco bons exemplos a serem seguidos. Os responsáveis, sejam país ou avôs, são completamente omissos na educação das crianças e jovens.


Desde muito pequenas as crianças vem sendo educadas para serem “reis e rainhas” sendo lhes permitido tudo, pois o poder lhes pertence, e como consequência desta falta de limites tem formado  jovens e adultos delinquentes, ou seja, que não respeitam normas, leis e muito menos pessoas.


Infelizmente, muitas crianças jamais ouviram um NÃO de seus pais ou responsáveis, o que traz diversos danos à conduta e ao amadurecimento destes futuros adultos, além de terem que conviver com o passar do tempo com as frustrações em não poderem ter tudo em suas mãos na hora que bem entenderem.
No passado, nossos avós e pais receberam uma educação repressora e autoritária, onde um simples olhar já era o suficiente para que as crianças soubessem o que não podiam fazer. Porém, a falta de limite que deveria ser oferecida aos filhos tem sido uma desculpa recorrente pela falta de tempo com eles.


Altas cargas de trabalho tem feito com que muitos responsáveis sejam completamente omissos na educação familiar, no entanto não medem esforços e muito menos consequências em presentear constantemente seus filhos com brinquedos e aparelhos eletrônicos de última geração como uma maneira de encobrir a própria negligência.

O fato de permitir que os filhos sejam donos do próprio nariz em fases tão prematuras tem gerado crianças birrentas, cheias de razão e problemáticas. Educar é um ato de amor, porém muitos pais e responsáveis deixam a situação correr com o tempo, sem terem paciência para educar as crianças e muito menos oferecer limites ou dialogar com elas passando esta responsabilidade para os futuros professores, o que é um grande erro.
A falsa ideia de que criança pode tudo é uma maneira que os responsáveis encontraram para dizer que são descompromissados e negligentes com os filhos, ou seja, deixa o mundo criá-los porque aproveitar a vida é muito mais interessante.
Não há nada mais desagradável do que conviver indiretamente com crianças que abusam da falta de limites, e tentam a qualquer custo mostrar que são mais importantes do que tudo, o que denota a completa falta de amor dos seus responsáveis, e causa desconforto àqueles que não têm obrigação de suportar manha e falta de respeito.

Não são raras as situações em que as crianças em espaços públicos ou particulares, como escolas, parques, restaurantes, shoppings, entre outros, quando não são atendidas em seus desejos agem com agressividade sobre outras crianças, forçam choros ou tentam medir forças com adultos até conseguirem o que tanto almejam como um doce, um brinquedo ou apenas atenção fazendo com que seus responsáveis abram guarda e sejam permissivos em suas vontades.
Segundo White (1976, pg. 11), “quando os pais não colocam limites para os filhos desde sua infância, estão contribuindo para formar cidadãos que não compreendem suas responsabilidades e que não respeitam normas e o outro, acabam colhendo aquilo que semearam com a sua educação.” Não raramente vemos pais desesperados com seus filhos na fase adulta culpando o mundo por não ser tão generoso com eles, o que podemos perceber pela quantidade de pessoas nos mais variados presídios do Brasil e em  países onde a educação básica é completamente nula.
O que antes era considerado radicalismo tendo os pais como autoridade, pouco tempo depois alguns estudiosos na disciplina “educação” destituíram os pais desta responsabilidade por acreditarem que dizer “não” às crianças poderia ocasionar traumas e frustrações.
No entanto, esta falta de autoritarismo dos pais trouxe a tona os mais variados problemas no decorrer dos anos, onde a maioria deles interpretou que deixar os filhos fazerem tudo que almejavam sem ter regras não traria qualquer trauma a eles. Porém, segundo Freud (1986) os limites são necessários para a existência humana, a ausência deles dá a sensação de que as crianças podem fazer tudo o que considerarem importantes a elas em determinado momento, esquecendo-se por completo que as crianças não possuem maturidade suficiente para decidirem nada.
La Taille (1999) observa que, o limite é um termo associado à obediência, ao respeito, a retidão moral e a cidadania, de acordo com os estudos de Jean Piaget (1994), os limites estão relacionados ao desenvolvimento da moralidade na criança. Pais que tratam os filhos dentro de uma redoma esquecem que elas precisam ter frustrações para criar respostas de defesa, bem como devem ser tratadas não como pessoas que possuem falta de entendimento e sim como seres inteligentes o bastante para entenderem porque há regras e normas disciplinares que devem ser respeitas e cumpridas.


Outeiral (1994) deixa claro que limite significa a criação de um espaço protegido, onde a criança poderá exercer sua criatividade e espontaneidade sem receios e riscos, e que os filhos esperam dos pais limites claros e bem definidos. Percebe-se claramente que, os limites são necessários e a falta deles expõe as crianças aos riscos da delinquência na fase adulta, além de poder colocar em risco a conduta delas.
Caso, o exemplo dos pais não seja adequado e não aja orientação ou limites, o desvio ou transtorno de conduta pode ser moldado na fase infantil e na juventude, que é caracterizado por padrões persistentes de conduta socialmente inadequada, agressiva, desafiante com a violação das normas sociais ou direito individual.
Vortella e La Taille (2005) afirmam que uma atitude moral implica o respeito ao outro, bem como o respeito às necessidades e particularidades do outro, além do respeito aos demais pontos de vista, o que implica na capacidade de pensar no bem comum. O que podemos concluir é que os limites estão diretamente associados a capacidade que a criança tem em se socializar e ter uma boa convivência de maneira que ela reconheça e considere seus próprios limites, além de respeitar todos aqueles que direta ou indiretamente são responsáveis por sua educação.
Quando há falha na comunicação e não há qualquer tipo de limite, as crianças tendem a não respeitar ninguém, pois acreditam que tudo lhes é permissivo, já dizia Içami Tiba, "educar dá trabalho, mas é um trabalho que dá bons frutos."
Agora se você não tem tempo para educar seus filhos e acredita que esta responsabilidade é exclusivamente dos professores, e que a sociedade deve aceitá-los como eles são, mal educados e birrentos, então tenho algumas regras básicas de como você deve educar seus filhos para se tornarem delinquentes na juventude e na fase adulta.
1º) Arranje um homem para ter um filho, não importa se ele é alguém próximo a você até porque viver a vida da melhor maneira possível é muito mais importante do que planejar o nascimento de um filho. Vá a todos os eventos possíveis, onde não aja nenhum tipo de regra, e o sexo seja liberado. Se envolva com o primeiro homem que achar ser uma presa fácil. Não pesquise nada sobre ele, entre nessa aventura de cabeça, quanto mais irresponsável você for, mais a sua família irá te apoiar nas suas aventuras.
2º) Depois de engravidar, continue levando a vida sem responsabilidade, assim quando o homem com quem você transou descobrir que será pai e se negar a assumir qualquer tipo de responsabilidade com a criança, você não se sentirá tão frustrada até porque não foi criada para isso.  
3º) Tenha seu filho e logo no primeiro mês largue ele aos cuidados dos avôs, baba ou creche, sem culpa de nada, até porque ele vai ser o centro das atrações da família. Continue tendo a sua vida de solteira, sem responsabilidade, deixe que os outros se preocupem com os cuidados do seu filho. Trabalhe e compre tudo que achar necessário para ele, não perca seu tempo dialogando com ele. Com o passar dos anos, ele vai entender a sua completa ausência na vida dele. E não poupe o seu desejo de ter outros filhos com outros homens, não esqueça que a responsabilidade de educá-los não é sua.
4º) Não perca seu tempo saindo com seu filho até porque criança atrapalha, se você arranjar um novo namorado ou marido e ele não quiser ou não gostar do seu filho, não se esqueça que arranjar um bom partido nos dias atuais anda difícil, então, o seu filho vai ter que aceitar o padrasto. Aqui você é mais importante do que seu filho. Se você precisar sair para namorar, não tenha o menor ressentimento em deixá-lo sozinho em casa, pois com o tempo ele vai aprender a se cuidar.
5º) Quando seu filho crescer e chamar de pais os avós aplauda porque na verdade você nunca planejou tê-lo, e quem cuida da educação  e provêm as necessidades afetivas dele são os avós. Se isente por completo dessa responsabilidade e continue transferindo aos outros.
6º) Quando seu filho fizer birra em público dê risada e faça tudo que ele quer, assim você não irá traumatizá-lo.
7º) Quando seu filho crescer e bater nos colegas da escola, praticar bullying, mentir ou praticar pequenos furtos, apoie-o assim ele vai se sentir mais confortável para continuar com estas atitudes.
8º) Jamais repreenda as atitudes erradas do seu filho, ensine-o a continuar desrespeitando regras, normas e pessoas, pois os outros tem que entender que ele é o “rei” e não uma pessoa comum que sabe o que é respeitar ou ter limites.
9º) Quando ele for pego roubando, assaltando, estuprando, traficando ou matando jamais o contrarie, não, diga que todos o perseguem e mentem sobre as atitudes dele. A sociedade é que é culpada por não entender suas atitudes de revolta.
10º) Quando seu filho for preso, vá visitá-lo na cadeia, pois mesmo você sendo uma pessoa ausente na infância e adolescência dele e nunca ter dado importância a educação, ele nasceu de você e precisa de todo apoio para continuar com as práticas ilegais. Se sentir vontade de chorar, não reprima este sentimento até porque os filhos tendem a copiar os modelos que eles têm em casa, e você é o melhor exemplo disso.
Agora se você for uma pessoa que se preocupa com a educação dos seus filhos e achar importante dar limites a eles para que sejam pessoas melhores, faça tudo o contrário, pois os filhos tendem a respeitar e admirar aqueles que os ensinam a respeitar todas as normas, leis e pessoas. As crianças precisam brincar, bem como ter a atenção dos pais, precisam se comunicar e acima de tudo precisam ter educação básica do que é certo ou errado.
Se coloque no lugar dos seus filhos e dê a eles a educação que você gostaria de ter tido, assim no futuro você vai fazer com que eles sejam seres humanos muito melhores do que os que não respeitam nada e ninguém!
Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Deixe o passado no passado e corra dos vampiros emocionais

Marisa Fonseca Diniz


Se você é daquelas pessoas que acha interessante recuperar amizades passadas, então preciso te dizer algo: NÃO FAÇA ISSO, contatos que ficam no passado jamais foram seus amigos. A amizade vai muito mais além do que um simples contato, o verdadeiro amigo é aquele que te escuta, critica, dá bronca, mas não te deixa pelo caminho e não te apunhala pelas costas.

Há aquelas pessoas que excluem sem dó nem piedade os vulgos amigos, e reaparecem do nada cheio de desculpas esfarrapadas, simplesmente por terem algum interesse, e são justamente estas pessoas que com o tempo sugam suas energias e te usam em benefício próprio. Não aceite desculpas, ignore, vire a página, porque no final não vale a pena manter qualquer tipo de relacionamento.

No decorrer da vida passamos por algumas situações que nos faz refletir quem realmente merece a nossa consideração, e com certeza as pessoas negativas, cheias de si, interesseiras, invejosas, egocêntricas são as primeiras que devemos manter distância. 


Os vampiros emocionais não poupam ninguém, se fazem de vítimas, a vida está sempre entre altos e baixos, tentam a qualquer custo mostrarem ser indivíduos influentes, entendidos de tudo, porém são pessoas intolerantes e inconstantes em seus relacionamentos e o humor é instável, conselho corra de pessoas com este perfil. Pessoas com estas características não acrescentam absolutamente nada na vida, apesar do tempo elas não mudam, e sim pioram.

Há certos indivíduos que quando chegam perto, logo sentimos um peso nas costas, nossas pálpebras ficam pesadas e temos a sensação de que uma nuvem negra paira sobre nossa cabeça. Pessoas que foram deixadas no passado e de repente do nada surgem com falsas intenções são pessoas que carregam cargas pesadas ao longo dos tempos.

Algumas situações podem ser descritas aqui, afim de que possamos explicar melhor o efeito devastador que estes vampiros emocionais causam na vida das pessoas, que muitas vezes acabam sendo permissivas ao estender a mão para ajudá-las.

Sabe aquele amigo de escola, que você não vê há muitos anos e que de repente surge na sua vida do nada? A justificativa para o seu reaparecimento é simples, te achou nas redes sociais e ficou sabendo que você acabou de chegar do exterior depois de um longo período morando, estudando ou até mesmo trabalhando, e coincidentemente descobriu que você está feliz por ter se casado com um estrangeiro bem sucedido. Você nem lembra mais do sujeito, mas ele faz questão de te atormentar nas redes sociais, te enviando mensagens absurdamente invasivas, e de repente sugere um encontro para recordar os velhos tempos de escola. Para estes indivíduos o meu conselho é usar o BLOQUEIO das redes sem dó e IGNORÁ-LOS ao vivo e a cores, resumindo fuja da presença deles sem deixar rastros.



O invejoso é aquele sujeito que fica sempre a espreita pronto para atacar quem ele tanto gostaria de ser. São pessoas com baixa autoestima, fracassadas e fofoqueiras. O indivíduo que tenta chamar atenção para si como se estivesse na pele daquele que tanto inveja, em geral tende a usar suas vítimas como trampolim para conseguir alguma coisa que julga interessante para a sua vida medíocre. Apesar de algumas pessoas acreditarem que a inveja possa ser uma doença crônica, na verdade é um desvio de caráter.

Não caia na besteira de contratar um colaborador ou um funcionário que era um contato antigo, sumiu e do nada resurgiu das cinzas. Essas pessoas tem um motivo para ficarem esquecidas no passado, muitas vezes elas escolhem suas vítimas, pessoas bem sucedidas que podem beneficiá-las de alguma maneira, seja financeiramente ou por meio de contatos. Boicotam as empresas, são preguiçosas, não cumprem e nem respeitam as normas ou políticas das empresas, mudam de lado facilmente quando recebem benefícios de fornecedores, clientes ou colaboradores. Quando não conseguem atingir seus objetivos se revoltam e difamam suas vítimas ou empresas.

O comportamento inicial de vítima é apenas uma maneira de conseguir atenção para si mesmo, o temperamento é inconstante, pior ainda quando estas pessoas são portadores de comportamento bipolar, e aqui nesse caso eu faço um parêntese para falar desta doença e suas complicações no ambiente de trabalho. 



Segundo, a Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Bipolares - ADEB, a doença bipolar ou maníaco-depressiva é uma doença psiquiátrica que tem como característica principal acentuadas variações de humor com crises repetidas de depressão e mania. Estas crises podem predominar uma única pessoa com frequência bastante variável, onde as crises podem ser graves, moderadas ou leves.

As alterações abruptas de humor repercutem negativamente nas sensações, emoções, ideias e no comportamento da pessoa portadora dessa doença. 
Esse comportamento maníaco-depressivo nas relações de trabalho podem influenciar negativamente os colegas que ficam sem saber como agir mediante esta instabilidade, o medo desestabiliza qualquer equipe dentro das empresas.

Quando o portador da doença bipolar está com sintoma de mania, seu estado de humor é elevado, expansivo, eufórico ou irritável. No início da crise a pessoa se sente mais alegre, sociável, ativo, falante, autoconfiante, inteligente e criativo, porém com a elevação progressiva do humor há uma aceleração psíquica, a saber:

Irritabilidade Extrema: o portador se torna exigente, zanga-se quando as pessoas não satisfazem seus desejos e vontades, no caso corporativo tendem a não cumprir ordem de seus superiores e não respeitam as políticas da empresa, pois acreditam que todos devem fazer o que ele considera certo;

Alterações emocionais: imprevisíveis, os pensamentos aceleram começam a falar muito rápido e mudam abruptamente de assunto;

Reação excessiva a estímulos: interpretam de maneira errada os acontecimentos, se irritam por qualquer bobagem e levam ao extremo comentários sem sentido;

Aumento de interesse: tendem a se interessar por diversas atividades, gastam excessivamente, contraem dívidas e as ofertas são sempre muito exageradas;

Grandiosidade: o amor próprio aumenta elevadamente, a pessoa se sente poderosa;

Hiperatividade: há uma energia além do normal e ininterrupta;

Diminuição da necessidade de dormir: ficam mais despertos.

Vontade sexual: aumento da vontade sexual, o comportamento é desinibido com escolhas inadequadas;

Não reconhecem a doença: recusam tratamento e sempre culpam os outros pelos seus problemas;

Delírios: perda da noção da realidade escutam vozes, têm ideias estranhas;

Abuso: de álcool, drogas e outras substâncias.

No sintoma de depressão o humor é de tristeza e desespero. Os principais sintomas, a saber, são os seguintes:

Preocupação: perda da autoestima, preocupação exagerada com fracassos, obsessão por pensamentos negativos;

Sentimentos: se sentem inúteis, há desespero e culpa excessiva;

Pensamento: há dificuldade de concentração, esquecimentos, pensamento lento e não conseguem tomar decisões;

Perda de interesse: há perda de interesse no trabalho, nas pessoas, familiares, amigos e até mesmo em hobbies;

Preocupação: há uma preocupação excessiva com queixas físicas;

Inquietação: agitação ou perda de energia, cansaço e ociosidade total;

Alteração: há alteração no apetite e peso, aumento do sono ou insônia, diminuição do desejo sexual, choro fácil ou apenas vontade;

Morbidade: ideias de morte, suicídio e tentativas de colocar um ponto final na própria vida;

Excessos: uso excessivo de bebidas alcoólicas e outras substâncias;

Perda: há perda da noção da realidade, ideias estranhas, delírios, escutam vozes com teores negativos e depreciativos;

Os portadores da doença bipolar durante as crises podem ter sintomas de mania e depressão ao mesmo tempo, as chamadas crises mistas, que podem durar dias ou meses. Não há nenhum tipo de tratamento que cure a doença.

Portanto, se inconsequentemente você achou que ajudando aquele antigo contato dando-lhe um emprego ou trabalho, e de repente do nada ele mudou, não se sinta culpado, pois ele pode de um momento para o outro falar bem ou mal de você e da empresa, aproveite este momento em que ele disser que não quer mais continuar com o trabalho e DEMITA-O ou ROMPA qualquer tipo de contrato. Não perca seu precioso tempo com pessoas que não te levarão a lugar nenhum.

Quando a vida começa dar uma guinada eis que surge aquele ex sem noção com ideia louca de retomar o antigo relacionamento, nesse momento é hora de analisar qual o motivo do rompimento, e IGNORAR sua presença, sim, não caia na besteira de achar que aquele relacionamento abusivo pode ser diferente. Relacionamentos abusivos são tóxicos vão muito mais além da agressão física, podendo ser emocionais e espirituais.



Aquele namorado, noivo ou marido que impede de você ter amizade com outras pessoas, principalmente homens, agride a sua liberdade, é uma pessoa insegura.  Críticas destrutivas, humilhações, promessas vazias, ridiculariza as escolhas na frente dos amigos, não apoiam, proíbem a utilização de roupas mais sensuais, há gritaria, xingamentos, há exploração financeira da vítima são  apenas algumas atitudes de pessoas dissimuladas, machistas, agressivas, pois estas pessoas não sabem o que é o amor, muito pelo contrário se sentem felizes com a desgraça alheia, são frios, calculistas e perturbados. Corra desse tipo de relacionamento que suga sua alma e não te acrescenta absolutamente nada, quem te ama te aceita como você é com erros e acertos.


Os vampiros emocionais sempre tem um jeito de escapar, inventam desculpas, e jogam sobre os outros as suas perturbações de maneira que todos o enxerguem como seres benevolentes, e é aí que mora o perigo. Não dê segunda ou terceira chance a eles, ignore-os, retire-os em definitivo dos seus contatos, não permita que eles tirem a sua paz. As pessoas que irão acrescentar coisas boas em sua vida são aquelas na qual você sente uma paz enorme, há segurança no falar, são otimistas te orientam sem críticas e respeitam suas escolhas.

O psicólogo americano Albert Bernstein definiu em seu livro Vampiros Emocionais, que os vampiros são aquelas pessoas portadoras de distúrbios de personalidade que influenciam de maneira negativa a vida das outras pessoas vencendo pela exaustão mental e física.

Seres antissociais, histriônicos, narcisista, obsessivos, compulsivos, paranoicos, maníacos, depressivos encantam e conquistam a fé, confiança e o afeto das pessoas apenas para sugar toda a energia emocional das suas vítimas e se vão como se nada de mal tivessem feito.

Situações são como pessoas, portanto exclua em definitivo tudo aquilo que tira a sua paz!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Deixe o passado no passado e corra dos vampiros emocionais de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2017/10/deixe-o-passado-no-passado-e-corra-dos.html.

A difícil arte de viver em sociedade


Marisa Fonseca Diniz


Não há nada pior do que tentar viver de maneira harmoniosa dentro de uma comunidade sabendo que esta convivência possa ser a arte mais difícil de acontecer, pois nem sempre as pessoas estão condicionadas ou dispostas a isso, seja dentro de uma empresa, em uma escola, em um condomínio, clube recreativo ou até mesmo no lar junto à família.


Quem já não passou por uma situação conflitante, onde os habitantes residentes de um condomínio acreditavam que a fração do seu imóvel ia além da sua propriedade tomando posse das demais unidades como se fossem parte de um todo pertencente a eles? Imagine depois de um dia de trabalho exaustivo chegar à sua casa na esperança de relaxar, porém seus vizinhos da esquerda, direita ou acima decidiram deixar as crianças brincarem livremente dentro da unidade habitacional permitindo que corram, gritem, façam algazarra com a sensação de que há um terremoto invadindo o seu lar, e que o descanso simplesmente fugiu pelos ares?

Pacientemente você solicita a eles que silencie o barulho, mas por pura pirraça eles não apenas ignoram o seu pedido como também fazem mais barulho. Este exemplo pode parecer esdrúxulo, mas saiba que é mais comum do que se pode imaginar, as pessoas na sua grande maioria não são empáticas, ou seja, não se colocam no lugar do outro, simplesmente pensam em si próprias e nas suas ansiedades esquecendo-se por completo dos sentimentos alheios.


Há uma expressão que descreve perfeitamente as situações que vivemos atualmente na sociedade, “as pessoas acham que são o centro do universo, o solzinho que brilha” como se tudo girasse em torno delas mesmas. O egocentrismo, a maldade e a mesquinharia têm feito com que a vida em sociedade fique cada dia mais insuportável. Atitudes como estas não ficam restritas apenas em condomínios, muitas vezes elas são o reflexo do cidadão na rua, no trabalho, no clube recreativo.

A falta de limites e empatia tem feito com que muitas vezes este reflexo gere contendas na sociedade, não é difícil percebermos que a maioria das guerras, por menores que pareçam ser, começam dessa maneira, alguém discordou da opinião alheia e decidiu agir com estupidez impondo suas regras, nesse caso a intolerância não fica restrita a um pequeno grupo, em geral, tomam proporções absurdas e envolvem muito mais pessoas, uma comunidade, uma sociedade ou vários países, onde pessoas matam outras por ódio sem nem ao menos saberem a causa, apenas pelo prazer de assim cometerem atrocidades.

Pior quando essa intransigência de opiniões adentra os ambientes corporativos, não é raro encontrarmos pessoas totalmente insatisfeitas com suas funções ou com sua chefia acreditando que se estivessem lá no lugar deles seriam excelentes líderes. Ora, antes mesmo de acusarmos um ou outro por sua péssima gestão é necessário fazer uma análise profunda do que é liderança, quais são as características necessárias que um líder necessita ter para desenvolver bem este papel, e nesse quesito encontramos muitos entendidos, porém poucos comprometidos.


Liderar é uma arte que poucos seres detêm. Todos almejam a liderança, porém poucos estão dispostos a pagar o preço da responsabilidade. Ser líder não é impor ordens, e sim se colocar no lugar do outro, sentir na própria pele as dificuldades encontradas por aqueles que compõem uma equipe.

A liderança é uma arte, onde apenas uma minoria está realmente disposta a pagar o preço e abrir mão muitas vezes do conforto ou da tranqüilidade.  Não se iluda acreditando que muitas pessoas chegaram ao topo do sucesso, apenas porque em sua caminhada assumiram cargos de alta gestão comodamente sem se dar o trabalho de ter que abrir mão das horas de lazer ao lado de seus familiares ou tiveram tudo muito fácil na mão. 


O bom líder é aquele que tem consciência de que o primeiro degrau de sua vida profissional na sua maioria começa no chão. Muitos dos líderes bem sucedidos de hoje, um dia já tiveram subempregos, ganharam mal, cansaram de fazer horas extras, deixaram o almoço tranqüilo de lado para comer um sanduíche requentado, não lamentaram por ter que abrir mão dos seus dias de descanso, pois eles sabiam que no final o esforço compensaria pela determinação de que a carreira não ficaria sempre no mesmo degrau, estagnada.

Com toda certeza, a caminhada nunca é fácil principalmente porque o mundo corporativo é uma guerra constante, sempre há aqueles que ficam na torcida para aquele sujeito que fica além do expediente de trabalho cair um dia de queixo no chão, ou quando não, fazem de tudo para arrancar o tapete daquele indivíduo certinho que não hesita em fazer o trabalho dele e mais um pouco. Invejosos de plantão e indivíduos maldosos há aos montes nas empresas.


A história biográfica de Jack Ma, dono do Grupo Alibaba, é o retrato do quanto é difícil obter sucesso na vida profissional, muitos são os tropeços e as rejeições, mas com determinação se chega ao topo do sucesso, por mais que pareça impossível alcançá-lo, jamais desista de seus sonhos mesmo que as pessoas cheguem até você e diga que a sua ideia não vale nada. Saiba que um dia a sua ideia pode fazer a diferença na vida de muitos e ser um diferencial de mercado, onde muitos estão acomodados a fazer sempre a mesma coisa, inove.

A vida profissional é uma guerra eterna, onde encontramos muitos acomodados reclamando de tudo, pessoas acovardadas, omissas, invejosas, indivíduos que fazem de tudo para roubar descaradamente a ideia do outro, sugadores de energia, pessoas dissimuladas, perigosas e maldosas. O sucesso na carreira profissional nem sempre acontece de maneira correta, muitas vezes é necessário esquecer a vida pessoal e dar mais ênfase na profissional para driblar as dificuldades, engana-se quem acredita que o sucesso vem fácil.

Há uma frase que diz que “tudo que vem fácil vai embora rápido”, quantos são aqueles que do nada atingem o sucesso se mantêm por alguns anos no topo das paradas e de repente quando envelhecem ninguém nem sabe quem eles são? Muitos que um dia tiveram sucesso repentino podem estar hoje em uma situação precária ou porque simplesmente no passado esbanjaram tanto que acabaram perdendo tudo. Este é um exemplo típico de artistas e esportistas.


O sucesso deve estar bem estruturado em alicerces reforçados para quando vierem às tempestades permaneça em pé, pois tudo que é construído na areia tende a desmoronar com o tempo. Os sonhos podem demorar a serem concretizados, mas jamais devem ser deixados de lado, esqueça aquela velha cobrança de que as pessoas têm que nascer sabendo o que farão em sua vida adulta, não esqueça que muitos indivíduos só descobrem sua verdadeira aptidão após o amadurecimento que pode levar anos.

Assim como no caso Jack Ma, muitos outros indivíduos fizeram história após os 50 anos de idade, o que pode parecer impossível para a maioria, na verdade é a melhor época, pois o amadurecimento e a responsabilidade fazem com que muitas pessoas queiram ser e ter um diferencial na vida, sem se deixar abater pelo envelhecimento. Recordemos o caso de John Pemberton, que aos 55 anos de idade fez sucesso com a sua formula mágica, a Coca-Cola, apesar de ter falecido dois anos mais tarde em 1888, o sucesso da marca persiste até os dias atuais. Quando o cérebro não é exercitado ele atrofia e faz surgir diversas doenças físicas, psicológicas e espirituais.

Não podemos nos deixar levar pelo sistema retrógrado que a sociedade impõe aos indivíduos, onde quem sai do eixo se perde e fica fadado a miséria. A sociedade vive há anos dentro do conceito da primeira revolução industrial, onde as pessoas ficavam nas linhas de produção durante 8, 10, 12 horas por dia sem tempo de pensar, estudar, viviam exclusivamente para exercitar um trabalho bitolante e estressante.

A falta de visão global tem feito com que a maioria das pessoas pense exclusivamente em trabalhar, se aposentar e curtir a vida, por que não trabalhar e curtir a vida ao mesmo tempo sem ficar pensando em ter que se aposentar tão precocemente? Por mais que o corpo envelheça com o tempo, nem sempre o cérebro acompanha este envelhecimento, e é justamente nessa hora que o ser humano deve pensar em continuar a ser útil. 


Atualmente, vivemos em uma sociedade em que as pessoas estão preocupadas demais com seu próprio umbigo sem querer olhar para o problema do outro e desenvolver ideias geniais que podem sim mudar situações enfadonhas. É necessário pensar em sermos mais úteis a todos os outros seres nos colocando dentro da dificuldade do outro e colocar a cabeça para funcionar, a vida não é um mar de rosas. Se pararmos para pensar, invés de ficarmos criando problemas para o nosso vizinho, nosso colega de classe ou sermos intransigentes em nossas opiniões enxergando nas dificuldades alheias soluções viáveis para tornar o dia muito mais agradável, nós seremos capazes de evoluir espiritualmente tornando o mundo mais suportável e desenvolvido. Pequenas atitudes que podem fazer toda a diferença não apenas na nossa vida como na vida de muitos indivíduos.

Muitas pessoas fecham o olho para o filho, os pais, os colegas, amigos, que estão em situações degradantes, onde falta oportunidade, comida, roupa para vestir, pois há o pensamento de que o outro está nessa situação porque ele quer, e o ser egoísta está pouco se importando com aquele que assim como ele merece ter uma vida mais digna.

O amor tem se esfriado a cada dia que passa e mais pessoas tem mostrado o seu lado egocêntrico, poucas são as ações voluntárias e humanitárias que acontecem ao redor do mundo. Há milhões de pessoas morrendo de fome, doentes, em guerras civis espalhadas pelo mundo a fora, em contrapartida a milhares de outros indivíduos que acreditam que essas situações devem acontecer, a fim de que seja feita uma limpeza excluindo o excesso de seres na face da Terra.

Qual o tipo de sociedade que estamos deixando para as próximas gerações? Pense, reflita coloque-se no lugar do outro, e veja o que está fazendo de melhor para mudar a sociedade atual.

Quando nos colocamos no lugar do outro, seja numa empresa, em um condomínio, numa comunidade, na escola ou no clube recreativo estamos dando a chance a nós mesmos de perceber as dificuldades pelos quais as outras pessoas passam, a empatia faz com que possamos evoluir como seres humanos evitando dessa maneira a intransigência diária, o egoísmo, a falta de noção e a falta de entendimento, pois a guerra nunca foi e nunca será a melhor solução.


Se quisermos ter uma sociedade mais evoluída teremos sim que ter consciência de que isso só será possível quando nos colocarmos no lugar do outro permitindo que as futuras gerações possam ter um mundo mais suportável e sustentável.


Faça a sua parte e seja diferente!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho A difícil arte de viver em sociedade de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2017/10/a-dificil-arte-de-viver-em-sociedade.html.