A importância de preservar os mananciais


Marisa Fonseca Diniz



Quando nos referimos a mananciais logo vem a nossa mente o problema das habitações irregulares nas grandes cidades. O aumento da demanda por água é uma das consequências do crescimento populacional, porém não podemos deixar de observar que a falta de planejamento urbano nas cidades vem contribuindo para o aumento desordenado das construções irregulares em áreas de risco.



Os mananciais são fontes de água superficiais ou subterrâneas utilizadas no processo de abastecimento público. Os mananciais podem ser lagos, rios, represas, reservatórios, entre outros, a quantidade de água existente no planeta para consumo humano é muito pequena. Do total de água disponível no planeta 96,5% é água do mar, 1,71% é proveniente das calotas polares ou geleiras, 0,03% é água doce superficial e atmosférica e a água subterrânea corresponde a 0,76%, por isso se faz necessário à preservação dos recursos hídricos para que se mantenha adequada à qualidade da água a ser consumida pela população global.

O crescimento desenfreado e desordenado da população nas últimas décadas tem comprometido a qualidade do meio ambiente, bem como contribuído para o aumento da poluição das águas e a extinção dos mananciais. Loteamentos clandestinos e habitações irregulares as margens dos rios e dos mananciais tem elevado a degradação das bacias hidrográficas.



As áreas onde as habitações irregulares se encontram não possuem infraestrutura básica de saneamento, o que colabora para que os esgotos domésticos e industriais sejam despejados nos mananciais destruindo a flora e a fauna da região. Materiais orgânicos, coliformes fecais e os agrotóxicos utilizados em plantações próximas aos mananciais são alguns dos muitos problemas que alteram o ph da água a ser consumida.

Outros problemas que colaboram com a destruição dos mananciais são os desmatamentos, queimadas, atividades extrativistas agressivas, práticas agrícolas perniciosas, a poluição industrial e o uso indevido dos solos que tem causado desequilíbrio ambiental e comprometido dos recursos hídricos. A falta de planejamento adequado para conter o avanço populacional em áreas de risco, tem contribuído para degradar mais rapidamente as regiões dos mananciais, bem como diminuir a oferta de água de qualidade a população das grandes cidades com risco de propagação de doenças de veiculação hídrica.

O processo tradicional de gerenciamento de água envolve diversas fases para remover os contaminantes gerando altos custos ambientais e econômicos. A nova pegada sustentável determina a necessidade de enfocar na proteção das fontes vitais de água potável contra a contaminação reduzindo e eliminando a necessidade de tratamento. Ecossistemas saudáveis ajudam na purificação da água, evitando o ingresso da poluição nos cursos desta.

O maior sistema de abastecimento de águas superficial não filtrada do mundo fica na cidade de Nova York, que é alimentada pelo escoamento das geleiras que se formam durante o inverno nas Montanhas de Catskills. O sistema de abastecimento possuiu um programa de proteção de mananciais, que a partir da década de 1990 recebeu diversos aprimoramentos, a fim de que a população pudesse se desenvolver sem que a água perdesse a sua qualidade.



Este case de tratamento de água vale a pena ser citado como exemplo às cidades que estão rodeadas por mananciais.  O Departamento de Meio Ambiente da cidade de Nova York possuía duas opções para o tratamento de água, a primeira era a construção de uma estação de filtragem de água com um custo aproximado de US$ 6 bilhões e custo operacional anual de US$ 150 milhões.

A segunda opção com custo bem menor era instituir um programa de proteção da bacia hidrográfica das regiões onde a água potável era captada. O programa incluía um controle mais extensivo das atividades poluidoras da bacia hidrográfica, principalmente a localização das fossas sépticas, desenvolvimento e financiamento de práticas de gestão agrícola mais sustentável e o controle na aquisição de terras.



Os governantes antes mesmo de implantar qualquer programa de proteção das bacias hidrográficas deveriam investir mais em educação, a fim da população residente nos mananciais aprender a importância de preservá-los. Um planejamento habitacional urbano de melhor qualidade evita que os mananciais desapareçam, pois a água está escassa em todo o planeta e sem uma política adequada as futuras gerações nem saberão o que é este bem tão precioso conhecido como “água”.

Os artigos aqui publicados e este blog estão protegidos pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo os artigos aqui expostos, pois estão todos registrados.

Licença Creative Commons
O trabalho A importância de preservar os mananciais deMarisa Fonseca Diniz está licenciado com uma LicençaCreative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível emhttp://marisadiniznetworking.blogspot.com/2015/05/a-importancia-de-preservar-os-mananciais.html.

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.