A ignorância se alimenta de aplausos


Marisa Fonseca Diniz



Nunca foi tão verdadeiro este pensamento, nos dias que se sucedem somos muitas vezes obrigados a conviver com certas pessoas que chegam a nos sufocar por acreditarem estar acima dos outros, desmerecendo a sapiência ou a formação acadêmica alheia. A ignorância nem sempre é sinal de falta de conhecimento, muitas vezes ela pode ser considerada um comportamento rude de um determinado ser humano que se considera mais inteligente do que os demais.

Muitas pessoas podem sentir raiva de um chefe, colega, familiar, vizinho ou até mesmo um prestador de serviço que se considera um especialista em um assunto qualquer sem ter o mínimo de conhecimento básico na matéria, sim, comportamentos como estes são muito comuns na sociedade em que vivemos.

Não desmerecendo ninguém, mas humildade e sabedoria são virtudes importantes na vida das pessoas, pois possibilitam novos aprendizados, independente daqueles que a vida oferece. No entanto, algumas pessoas em especial acreditam que são especialistas em todos os assuntos sem nunca ter sentado em um banco de escola ou faculdade, pois acreditam que indivíduos que estudaram não passam de pessoas orgulhosas e que só tem na verdade um mero diploma.

A concepção destas pessoas em questão de conhecimento é totalmente deturpada da realidade, não medem esforços para denegrir a imagem ou a ciência daqueles que estudaram anos a fio sobre determinados assuntos, e não se dão conta do quanto ofendem e desmerecerem os indivíduos que se esforçaram para conseguir concluir seus estudos técnicos ou acadêmicos chegando ao ponto de serem oratoriamente agressivos com quem discorda de seus conceitos retrógrados.

Pessoas que criticam gratuitamente outros indivíduos por acreditarem que são melhores em tudo, não se intimidam em desmerecer os outros sendo conhecidos por terem uma personalidade controladora caracterizada por insegurança, altos níveis de ansiedade, teimosia e domínio. Os indivíduos controladores são pessoas narcisistas, egoístas, imaturas, resistentes, manipuladoras, calculistas e com tendência a psicopatia.

Com certeza, em algum momento alguém já se deparou com um ser humano com estas características, difíceis de conviver no dia-a-dia, seja em uma empresa, na família, na escola ou em qualquer outro lugar de convivência. O controlador é aquele ser que tenta a qualquer custo manipular aqueles indivíduos nos quais acredita que não sabem fazer nada da maneira que lhe agrada.

As dez principais características deste tipo de personalidade controladora são as seguintes:

Críticas constantes: os controladores são ávidos críticos, não poupam ninguém. Não aceitam ideias e opinião dos outros;

Argumentadores: tendem sempre argumentar que sua atitude é de proteção, quando na verdade tem medo de perder o controle sobre quem está monitorando;

Temperamentais: tendem a ter explosões de raiva quando as pessoas discordam deles ou não fazem exatamente o que eles querem. Esses acessos de raiva habitualmente são acompanhados por bullying, porém de maneira sútil;

Manipulação emocional: não conseguem lidar com o poder fazendo de tudo para diminuir a outra pessoa na tentativa de se sobressair. Frases do tipo: “não aguento mais”, “vou me matar”, “vou ter um ataque cardíaco” são algumas das táticas usadas pelos controladores que não se reconhecem como portadores desta personalidade, e passam a vida toda remoendo a culpa por tentar harmonizar o ambiente em que vivem, no entanto se tornam prisioneiras das suas próprias armadilhas na tentativa de fugir dessa situação;

Sarcasmo: são péssimos em elogios, não são carinhosos e não tem empatia com as pessoas. Portanto, quando receber algum carinho vindo de um controlador fique alerta, pois são falsos, sarcásticos e adoram expor os defeitos dos outros em público, principalmente daqueles indivíduos que não fazem o que eles querem;

Não aceitam não como resposta: os controladores são pessoas que não aceitam a rejeição e muito menos a frustração. Tendem a fazer com que as pessoas que não concordam com seus métodos autoritários, se sintam culpadas e envergonhadas por suas negativas;

Não respeitam a individualidade alheia: por quererem exercer o controle, não confiam nas pessoas e consequentemente não respeitam a privacidade e individualidade das pessoas. O controlador não admite que as pessoas ao seu redor se sintam bem com a própria companhia por medo de perderem o controle e a atenção devida;

Sem limites: o controlador não respeita o livre arbítrio das pessoas, impondo decisões que não lhe compete e extrapolando todos os limites. Segundo eles próprios, sempre estão certos, e sabem o que é melhor para os outros, justificando o controle como zelo e sufocando as pessoas com suas imposições agressivas;

Resistentes: não aceitam novidades ou inovação por medo, pois controlar exige dedicação, rotina e constância das atitudes;

Acumulo de responsabilidades: são acumuladores de responsabilidade e tarefas, pois assim conseguem se manter no controle de tudo.

O gestor que sempre fica na empresa sozinho após o fim do expediente com a desculpa que precisa arrumar a mesa bagunçada ou confeccionar um relatório, quase sempre irá vistoriar as gavetas das mesas dos seus subordinados para conferir se não estão roubando objetos e dinheiro da empresa, sim, o controlador morre de medo de perder o controle, porque não confia em ninguém. O gerente que ridiculariza a secretária na frente de funcionários, clientes, fornecedores dizendo que ela é incompetente por não fazer o trabalho do jeito que ele quer, nada mais é do que uma pessoa frustrada, crítica, autoritária e controladora.

Aquela pessoa maravilhosa que compartilha os dias com você, que decide tudo o que fazer, extremamente ciumenta, e sempre argumenta que as atitudes são de amor, cuidado porque na verdade ela pode estar apenas te manipulando por ser uma pessoa controladora emocional. Com o tempo o controlador vai te afastando dos amigos, colegas e familiares te sufocando de tal maneira que não conseguirá se soltar desta prisão emocional, pois o controlador não admite repartir nada com ninguém, a fim de não perder o poder de controlar.

O seu familiar que sempre achou que você nunca fez as coisas direito por não saber absolutamente nada, que te deu carro, casa e trabalho com a desculpa que tudo isso é para você ter uma vida digna, mas que no fundo impõe as decisões dele goela abaixo, que quer saber tudo que você faz, que te critica, fala mal de você para os outros e não te respeita, saiba que na verdade é uma pessoa imatura e controladora. Jamais admitirá que você ande sozinho, tenha vontade própria e tome as suas próprias decisões, pois o controlador sempre dará a desculpa de que suas atitudes são de zelo, quando na verdade ele está apenas te boicotando e controlando.

O colega que sempre diz que sabe tudo sobre todos os assuntos e que é o melhor profissional do mundo, mas que nunca se interessou em inovar na carreira e desmerece os diplomas e cursos alheios na certeza de ter os holofotes virados exclusivamente para ele, com certeza está tentando manter o poder de que todos precisam dele.

Quem nunca foi vítima daquele cidadão que interrompe as conversas alheias para dizer que sua viagem é a melhor, que seu carro é o mais possante, que sua casa é maravilhosa e sua família é a melhor que qualquer pessoa poderia ter, saiba que esta pessoa na verdade é controladora e faz de tudo para desmerecer os acontecimentos alheios, pois o poder é tudo para ela.


Não é fácil conviver com pessoas de personalidade difícil, seja no trabalho, socialmente, num relacionamento, na família ou em qualquer outra situação. As pessoas com personalidade controladora dificilmente irão se enxergar como tal, pois elas têm o costume de transferir suas frustrações, medos, instabilidade emocional e ansiedade para os outros que não concordam com elas, o que dificulta o tratamento psicológico.

A ação de controlar na verdade para os portadores desta personalidade funciona como uma proteção à fraqueza sentida tendo como obrigatoriedade a vigilância constante, a fim de que os outros não percebam suas deficiências emocionais, no entanto as pessoas que convivem diretamente com este tipo de pessoa sofrem também diversos danos emocionais.

Relacionamentos amorosos são sempre muito conflitantes repletos de altos e baixos devido à instabilidade de humor e há críticas nada construtivas por parte dos controladores, o que faz com que as pessoas ao redor se sintam desmerecidas e com baixa autoestima, o melhor a fazer é buscar ajuda profissional de um psicólogo para poder reagir de maneira positiva a este tipo de situação.

No caso de familiares controladores busque o diálogo, quando a comunicação não for mais possível mantenha-se afastado de quem te sufoca, não fale de seus projetos ou conquistas, mantenha a sua sanidade mental, não entre em atritos, tenha sua autoestima equilibrada, tome suas próprias decisões e saiba que nada e ninguém pode acabar com sua paz interior. Neste caso, o silêncio é a atitude mais inteligente a se ter.


Nestes últimos anos conseguir uma oportunidade de trabalho é quase impossível, manter-se no emprego tendo um chefe controlador é um teste diário de paciência, e neste caso o melhor a fazer é não permitir que este indivíduo tire a sua concentração, portanto defenda seus direitos como indivíduo mostrando sutilmente que você está lá para trabalhar de maneira sensata. Educadamente mantenha o diálogo, e não deixe suas emoções emergirem a ponto de que haja conflitos desgastantes no ambiente de trabalho. O controlador gosta de se sentir no centro do universo, pois dessa maneira ele acredita que mantêm o controle sobre tudo e todos, mesmo não tendo.

O colega que critica tudo e todos com certeza precisa de muita ajuda psicológica, o melhor conselho é deixá-lo falando sozinho, pois com o passar do tempo, as pessoas ao seu redor irão se afastar de sua presença, e ficar sozinho o resto da vida o fará refletir se a melhor coisa não seria buscar a ajuda de um  profissional ou mudar sua maneira de ver os outros.

 Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Licença Creative Commons
O trabalho A ignorância se alimenta de aplausos de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://marisadiniznetworking.blogspot.com/2019/10/a-ignorancia-se-alimenta-de-aplausos.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.