20 de janeiro de 2018

Surfando na pororoca


Marisa Fonseca Diniz


O encontro das águas do mar com a do rio, caracterizado por ondas grandes e violentas na região amazônica é conhecida como pororoca. Alguns estudiosos acreditam que o fenômeno está relacionado às mudanças das fases da lua, principalmente aos equinócios o que aumenta a propensão da massa liquida dos oceanos proporcionando um grande barulho. Porém, para entendermos melhor como funciona a formação da pororoca é importante aprendermos como se formam as ondas. 


As ondas são perturbações que se propagam no espaço devido o transporte de energia, as partículas do meio no qual elas se propagam vibram em torno de suas posições de equilíbrio, mas não se movem com a onda. As ondas podem ser classificadas quanto a sua direção da propagação e quanto ao meio em que se propagam.  Quanto à propagação da direção, as ondas podem ser longitudinais e transversais, e quanto ao meio podem ser mecânicas ou eletromagnéticas.

As grandezas físicas que permitem caracterizar as ondas são amplitude, comprimento da onda, período, frequência e velocidade de propagação. A amplitude da onda em geral transporta mais energia, o comprimento da onda é a distância entre dois pontos que se encontram e um determinado instante, o período é o tempo que a onda se propaga, e demora a percorrer o comprimento da onda. A frequência é o número de vibrações ou oscilações completas que acontecem em um segundo, e a velocidade de propagação de uma onda é a relação que existe entre o espaço percorrido equivalente a um comprimento de onda e o tempo gasto para percorrê-lo.



Na Amazônia ocorre a elevação das águas em torno de 6 metros de altura a uma velocidade de 30 km/h. As ondas que se formam na cabeceira dos rios podem ser previstas duas horas antes do acontecimento, pois elas chegam à alta velocidade e arrastam tudo que encontram pela frente fazendo um barulho infernal, possível de ser escutado de longe.

A pororoca acontece apenas duas vezes ao ano, além de ser um fenômeno natural é atração turística. Há campeonatos de surfe na pororoca o que movimenta o turismo na região norte do país.


Que tal surfar na pororoca?


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.